Witzel pede desculpas à família de Marielle por quebra de placa

"Não ouvi nem vi o que eles fizeram. Qualquer ato que fizerem com intolerância, eu repudio", declarou governador eleito

Rodrigo Amorim (PSL-RJ) rasgou placa em homenagem à Marielle Franco durante campanhaRodrigo Amorim (PSL-RJ) rasgou placa em homenagem à Marielle Franco durante campanha - Foto: Reprodução/Internet

O governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), pediu desculpas à família da vereadora Marielle Franco (PSOL) pela quebra da placa em sua homenagem feita por deputados aliados num ato em que estava presente.

"Fiquei constrangido. Mas se quer que eu peça desculpa por um erro que não foi meu, eu peço. Desculpe Marielle, a sua vida, a sua família. Já conversei com sua mãe, encontrei com ela numa caminhada. A gente não tem menor restrição a isso", disse ele, em entrevista à Globonews, após ser instado a pedir desculpas.

Leia também:
Ato no Rio distribui mil placas com o nome de Marielle Franco
Biotipo de assassino de Marielle é identificado, diz MPRJ
Caso Marielle Franco é destaque em campanha de direitos humanos
Filho de Bolsonaro defende aliado que rasgou homenagem a Marielle
Aliado de Bolsonaro rasga placa em homenagem a Marielle


A placa foi quebrada pelo deputado eleito Rodrigo Amorim (PSL). Ele disse que a homenagem foi danificada sem intenção, mas retirada da Cinelândia porque foi colocada sem autorização do município.

"Era um ato pró [Jair] Bolsonaro. De repente me aparece os dois com a placa rasgada. Nunca compactuei com atos de intolerância. Nunca falei nada sobre Marielle. Estava olhando para a plateia. Não ouvi nem vi o que eles fizeram", disse ele. "Qualquer ato que fizerem com intolerância, eu repudio", afirmou, evitando classificar o ato.

Veja também

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara
STF

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação
Pandemia

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação