Yves já tem data de filiação: 28 de novembro

Ex-prefeito avisa que esse é o último mandato que disputará

Yves RibeiroYves Ribeiro - Foto: Rogério França

Ele já completou 26 anos exercendo mandatos de prefeito de três cidades: Igarassu, Itapissuma e Paulista. Agora, pretende voltar a comandar o executivo municipal para fechar essa conta em 30 anos. O primeiro passo ele deu na última segunda-feira: transferiu o título de eleitor para Paulista. O segundo é deixar o atual partido, o PSB. Aos 71 anos, Yves Ribeiro registra que integra as hostes socialistas há quase 40 anos, que foi candidato a deputado estadual, a pedido de Eduardo Campos, para ajudar a eleição de Paulo Câmara. "Só fui por isso, para ampliar trabalho dele no Litoral Norte de Pernambuco", recorda. Prestes a trocar de legenda, teve conversas com o presidente estadual do partido, Sileno Guedes, com o chefe de gabinete do governador, Milton Coelho, e com o secretário Aluisio Lessa. Segundo Yves, Sileno disse a ele que "o MDB poderia ser (uma alternativa), porque era partido aliado". Mas pondera: "Também não vejo muito ganho nisso, porque o próprio Júnior Matuto foi candidato a presidente contra Sileno Guedes e o governador, na época, em Brasília, disse que ele era candidato contra o governador". Emenda que Júnior Matuto "não votou na chapa completa" em 2018. E adiciona: "Ele votou em Mendoncinha, eu votei na chapa do partido".

Yves contabiliza os convites que recebeu: de André de Paula (PSD), de Luciana Santos (PCdoB), de Jarbas Vasconcelos e de Raul Henry (MDB). Anota ainda que, no último domingo, recebeu ligação do senador Fernando Bezerra Coelho, solicitando uma conversa com ele. Foi, então, à residência de FBC. Recorda que iniciou a vida política no MDB. "Disse, até brincando, a Raul Henry: 'Ninguém se perde no caminho da volta''". Com uma eleição de 2º turno à vista em Paulista, a hipótese de Yves Ribeiro ser candidato da base não está descartada. Mas não há um acordo ainda no Palácio das Princesas sobre isso. Se não crava o partido para o qual atravessará, Yves já bateu o martelo na data da filiação: será em 28 de novembro. Até lá, pode alinhar os planos com o PSB. Ou não. De antemão, ele avisa que esse é o último mandato que vai disputar.

 

Na linha com Ramos
O ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos, telefonou, na última segunda-feira, para o governador Paulo Câmara. Avisou que estava vindo ao Estado, confirmando a agenda que terá amanhã, em Pernambuco, como a coluna antecipou. O governador seguia para Brasília quando atendeu a ligação.
Tentativas > O ministro já havia pedido esse encontro com o governador antes, mas Paulo Câmara, em função das viagens recentes, não teve como compatibilizar a agenda. A pessoas próximas, Paulo Câmara definiu o ministro como "muito cordato" e vai à mesa com ele no Palácio das Princesas amanhã, às 17h.
Ministros na fila > Sérgio Moro também combinou com Paulo Câmara uma agenda, em Pernambuco, do programa Em Frente, Brasil. Acertaram, primeiro, para o dia 17, mas a data, agora, é dia 21.
Empatia > O deputado federal Silvio Costa Filho tem atuado junto ao secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, para destravar obras relevantes para o Estado. A dragagem do Porto do Recife é um exemplo. "Ele está ajudando", pontua Schwambach, que esteve com Silvio Costa Filho no Ministério da Infraestrutura há mais de um mês.
Alternativo > O secretário de Desenvolvimento Social, Sileno Guedes, apresentou uma minuta da proposta de regulamentação do transporte alternativo ao Legislativo. Nos próximos 180 dias, os motoristas deverão se adequar às regras para a circulação no Estado, garantindo a permissão do transporte, que passa a ser proibido no dia 09 de outubro, após deliberação do presidente Jair Bolsonaro. 

Veja também

Pandemia mostrou que o Judiciário pode mudar, diz ministra
justiça

Pandemia mostrou que o Judiciário pode mudar, diz ministra

'Virei boiola, igual maranhense', diz Bolsonaro no Maranhão após beber refrigerante rosa
governo

'Virei boiola, igual maranhense', diz Bolsonaro no Maranhão após beber refrigerante rosa