'Zero possibilidade de intervenção militar', diz Temer a estrangeiros

Segundo o americano Brian Winter, especialista em Brasil, Temer disse que há 'zero possibilidade' de uma intervenção militar no país.

Michel TemerMichel Temer - Foto: Beto Barata/PR

Acuado pelo prolongamento da greve dos caminhoneiros, o presidente Michel Temer (MDB) se recusou a falar com a imprensa brasileira nesta terça-feira (29), depois de discursar em evento em São Paulo, mas fez uma mesa-redonda com jornalistas estrangeiros. Segundo o americano Brian Winter, especialista em Brasil, Temer disse que há "zero possibilidade" de uma intervenção militar no País.

Leia também:
Quando tentam parar o país, exercemos autoridade, diz Temer
Cresce chance de Temer não terminar mandato, dizem membros do Congresso e STF
Pedir intervenção militar desmoraliza o bom caminhoneiro, diz líder

"Assunto do século passado"
Ainda nesta terça-feira (29), o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Sergio Etchegoyen, afirmou que as Forças Armadas não pensam em intervenção militar. "Eu vivo no século 21 e está divertidíssimo. O farol que eu uso para me conduzir é muito mais potente que o retrovisor. Não vejo as Forças Armadas pensando nisso e não conheço absolutamente", afirmou.

Para ele, o tema é um "assunto do século passado" e que não faz "nenhum sentido" diante da maturidade da sociedade brasileira."Ainda há pessoas que acham que essa alternativa é possível. É importante sabermos o motivo para identificarmos onde erramos", disse.

Etchegoyen sugeriu que os analistas políticos estudem os motivos dos pedidos por intervenção militar, presente em algumas manifestações populares, como a realizada na segunda-feira (28) em Brasília. "Por que chegamos a uma situação que parte de um movimento de oportunistas acha que isso é uma situação razoável e acha que isso seja situação sobre a mesa?", questionou.

Ele ressaltou que militares se posicionaram sobre o assunto e que quer construir um país em que não se busque encontrar um problema onde não há. "Não vou procurar problema onde está iluminado, mas onde está escuro. As incógnitas são de por que chegamos a isso", disse. Segundo ele, as instituições militares, como as Forças Armadas, estão sempre presentes no ambiente democrático, garantindo na segurança e a ordem.

Veja também

Após Cúpula do Clima, Bolsonaro diz que críticas ao Brasil não se justificam
Meio Ambiente

Após Cúpula do Clima, Bolsonaro diz que críticas ao Brasil não se justificam

Maioria do STF vota para manter decisão que considerou Moro parcial
Política

Maioria do STF vota para manter decisão que considerou Moro parcial