CANAL SAÚDE

Fevereiro Laranja alerta para o combate á Leucemia

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a leucemia corresponde a 33% dos casos de câncer que afetam crianças e adolescentes

Foto: canva.com

“Fevereiro Laranja” traz um enfoque especial na conscientização e combate à leucemia. A doença inicia nas células tronco da medula óssea, onde o sangue é produzido e é identificado quando os glóbulos brancos (células de defesa) começam a se reproduzir de maneira descontrolada nessa região.
A leucemia não é contagiosa, porém pode desenvolver-se em qualquer idade da vida

O paciente com leucemia pode apresentar vários sintomas, que requer atenção: Febre, sangramento nas gengivas e no nariz, fadiga, dores nos ossos e nas articulações, perda de peso, manchas roxas ou avermelhadas na pele, palpitações, entre outros.
Apesar de apresentar vários sintomas, há tratamentos específicos que podem levar à cura. Quimioterapia, terapia genética alvo, imunoterapia e transplante de medula óssea. O importante é diagnosticar, classificar e iniciar o tratamento o mais precoce possível, visando a cura.

Para abordar o assunto com mais detalhes, Jota Batista, âncora da Rádio Folha FM, conversou no Canal Saúde com a hematologista e hemoterapeuta da Unionco, Janaíra Nascimento. 

Médica Hematologista Janaíra Nascimento. Foto: Divulgação

 

 

A especialista detalhou os subtipos de Leucemia e a faixa etária mais comum de sofrer com essa doença

 

“A Leucemia é uma doença que é um câncer como todos os outros, sendo que ela acomete a medula óssea que é a fábrica de sangue. A Leucemia ela é dividida em subtipos, então existe o subtipo agudo e o tipo crônico e esses subtipos agudo e crônico. Existe um mais frequentes na criança, que é a leucemia linfocítica aguda, ela é a mais frequente nas crianças, mas ainda bem que tem uma taxa de cura muito alta. Por ser diagnosticado na infância, ela tem tratamentos que podem obter cura objetiva, e já os tipos mieloides eles são mais frequentes no adulto e no idoso”


A médica Hematologista também explicou sobre as dúvidas de possíveis causas da doença

 

“Às vezes a pessoa não teve nenhum parente na família que teve a leucemia, não tem histórico familiar, não tem nada, não fez nada, não bebe, não fuma, faz exercícios físicos e teve uma leucemia. Isso porque a maioria das vezes ela está lidando com mutações genéticas e essas mutações ocorrem em casos novos na família, muitas vezes. Você não consegue identificar uma causa, por isso que às vezes é difícil você combater uma coisa que você não sabe a causa. Das causas pré-definidas podem oferecer risco o contato com derivados do benzeno, os derivados do petróleo e também com inseticidas, então trabalhadores que têm contato com gasolina, aqueles trabalhadores da agricultura que tem contato com agrotóxico sem proteção. Essas são pessoas estão mais predispostas ao surgimento de leucemias, principalmente as agudas.”

 


Ficou interessado? Ouça o podcast completo acessando o player abaixo.

 

Veja também

Trem do Forró confirma mais uma temporada
DIVERSÃO

Trem do Forró confirma mais uma temporada

Português Salvador Sobral se apresenta no Recife ao lado de Martins
SHOW

Português Salvador Sobral se apresenta no Recife ao lado de Martins

Newsletter