Rádio Folha FM exibe radionovela da Perna Cabeluda

Narrativa teatral da Perna Cabeluda no formato de radionovela vai ao ar nesta sexta (13), às 17h, com reprise no domingo, às 11h

Elenco da radionovela "A Perna Cabeluda"Elenco da radionovela "A Perna Cabeluda" - Foto: Divulgação

 

Entre as diversas lendas que compõem o folclore do Estado, dificilmente a da Perna Cabeluda é ignorada ou esquecida. Junto da A Emparedada da Rua Nova ou Cumadre Fulôzinha, a Perna Cabeluda povoa o imaginário pernambucano e deu origens a supostos relatos de pessoas que viram ou foram agredidas pelo ser folclórico. 

Rádio Folha 96,7 FM radiofoniza a narrativa, formatada em um texto teatral, e que leva o título "A Perna Cabeluda - O Pânico se Instalou no Recife". O programa vai ao ar nesta sexta-feira (23), às 17h, com reprise no domingo (25) às 11h.

 

No elenco jornalistas e radialistas da Folha FM dão vida aos personagens atormentados pela Perna. O narrador da história é Neneo de Carvalho; Comissário Bolinha é Jota Ferreira; Sargento Paiva e o Maqueiro Nêgo Fonha ganharam a vida na voz de Jorge Neto; estreando no radioteatro a Produtora da Folha FM, Emília Lucena interpreta a Secretária da Delegacia; o repórter Geraldo Moreira é Ednaldo, a primeira vítima da Perna Cabeluda; Keila Vila Nova é Judite, esposa de Ednaldo; Patrícia Breda, é Betinha, que em um momento de puro terror é “possuída” pelo espírito maligno;  Adeildo,

Nada há de sobrenatural na origem do conto. A Perna Cabeluda surgiu com o jornalista e apresentador Jota Ferreira e o locutor Geraldo Freire, nos anos 1970. "Entrávamos ao vivo na antiga Rádio Repórter às quatro da manhã e permanecíamos até oito, e em dado momento não tínhamos mais o que contar. Geraldo então me pede que eu 'invente' uma história para poder dar o tempo do programa", relembra Jota Ferreira. "Três dias depois entra na emergência do Hospital da Restauração uma mulher completamente embriagada e dizendo que foi agredida pela Perna Cabeluda. Daí começou a histeria de diversas outras pessoas que entravam em contato com a rádio alegando que também viram ou apanharam da perna", conta.

 


Os relatos variavam. Uns diziam que era um bandido chamado Perna Cabeluda, outros que era um único membro saltando por localidades como a Avenida Guararapes. "A audiência do programa disparou, com mães preocupadas em deixarem seus filhos estudarem", diz o jornalista. 

Em plena ditadura militar, órgãos como a Polícia Federal tiveram que intervir pressionados pela opinião pública. "Enquanto a polícia caçava o que acreditavam ser um bandido de carne e osso, eu e Geraldo éramos levados para prestar esclarecimentos. Mas o delegado ria da situação", brinca o apresentador.

Se os mais novos sabem da lenda da Perna Cabeluda, deve-se em parte a Chico Science com a música "Banditismo Por Uma Questão de Classe", presente no álbum "Da Lama ao Caos". O músico foi calouro de um programa de auditório que Jota Ferreira apresentava na década de 1990. "Ele veio me pedir uma fita cassete em que eu noticiava mais um caso de ataque da Perna Cabeluda e cedi sem problema algum, até me tocar que se travava de um documento importante. Pedia de volta, ele sempre esquecia", diz.

Radionovela "A ideia de radiofonizar contos como este é levar literatura para os ouvintes, para que eles visualizem a cena como se estivessem lendo um livro", afirma Marise Rodrigues, gerente da Rádio Folha 96,7 FM e que dá voz a uma das personagens do conto. "Pedimos para Jota Ferreira escrever essa lenda a fim de preservar a história da rádio e do jornalismo pernambucano, além de apresentar para as novas gerações este mito que assombrou gerações", finaliza.

 

 

Veja também

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência é lembrado na Rádio Folha
DEFICIÊNCIA

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência é lembrado na Rádio Folha

Rádio Folha inicia, dia 28 de setembro, série de debates com candidatos à Prefeitura do Recife
DEBATES

Rádio Folha inicia, dia 28 de setembro, série de debates com candidatos à Prefeitura do Recife