O Julgamento de Padre Cícero- O Coração do Enigma
O Julgamento de Padre Cícero- O Coração do EnigmaFoto: Divulgação

Nesta sexta-feira (08), a Rádio Folha 96,7 FM reapresenta a peça radiofônica “O Julgamento de Padre Cícero - O Coração do Enigma”. A radionovela foi a primeira a ser veiculada no espaço em que a emissora abriu para resgatar a época de ouro do rádio pernambucano. A produção irá ao ar a partir das 17h, no Momento Cultural. A radionovela será reprisada às 11h do domingo (10), dentro do programa "O Melhor da Música", comandado por Patrícia Breda.


O texto é de Moisés Monteiro de Melo Neto, professor doutor em Teoria da Literatura, ator, escritor premiado, pesquisador, que interpreta Padre Cícero, e conta com a participação do ator Douglas Duan, que interpreta o Inquisidor. A direção é de Rudimar Constâncio e retrata vários aspectos da vida de Padre Cícero Romão Batista, importante e polêmico líder religioso brasileiro, nascido no Ceará e que faleceu em 20 de julho de 1934, aos 90 anos de idade, em Juazeiro do Norte, cidade onde está sepultado, atraindo a cada ano milhares de romeiros, que a ele atribuem realizações de milagres.

Padre Cícero nunca obedeceu, como devia, aos repetidos Decretos do Santo Ofício a seu respeito e os de 4 de abril de 1894, declaravam falsos os pretensos milagres de Juazeiro e os apontava como “indigna comédia” e em 19 de fevereiro de 1897, impôs ao padre afastar-se de Juazeiro, sob pena de excomunhão, o que aconteceu pela Carta do Núncio Apostólico de 14 de abril de 1917, há 100 anos atrás. Em 1889, conta-se que, durante uma missa na igreja de Juazeiro (CE), a hóstia consagrada por ele transformou-se em sangue na boca de uma mulher. A partir daí foi considerado um “milagreiro”.

Desde o início, a Igreja Católica não concordou com os acontecimentos, considerando-o como místico e o proibindo-o de exercer o sacerdócio. Ele foi prefeito da cidade de Juazeiro por 15 anos. Morreu no ano de 1934, tornando-se uma das principais figuras religiosas da história do país e é considerado um santo, por muitas pessoas religiosas, principalmente do Nordeste brasileiro, mesmo não sendo reconhecido pela Igreja Católica Romana. Em dezembro de 2015, o papa Francisco, emitiu um documento perdoando Cícero pelas punições impostas pela Igreja entre os anos de 1892 e 1926, e, esta forma, possibilitou sua reabilitação do padre Cícero Romão Batista dentro da Igreja Católica.


colabore com a folha

comece o dia bem informado: