Acontece

Quando foi preso, no dia 10 de maio, Laerte Codonho já começou as acusações contra a Coca-Cola
Quando foi preso, no dia 10 de maio, Laerte Codonho já começou as acusações contra a Coca-ColaFoto: Divulgação

Detentor de uma das maiores fortunas do País, o empresário Laerte Codonho, nome à frente da marca Dolly, foi preso recentemente por liderar esquema de fraude para sonegar impostos. Em entrevista à Folha de São Paulo, já solto, ele afirmou que foi vítima de um golpe entre um contador da empresa, Coca-Cola e Procuradoria-Geral. A Dolly, aliás, está com as contas bloqueadas, sem pagar funcionários e sem distribuir os seus produtos.

No dia 10 de maio, quando foi preso, ele contou que uma procuradora entrou na sua empresa com uma lata de Coca-Cola, para provocar e comemorar o suposto golpe. À época, aliás, Codonho levou uma faixa acusando a americana. Mas, além da Coca, segundo ele, havia um contador forjando dados. "Fomos atrás, pegamos todas as provas. Ele tinha falsificado 200 sentenças trabalhistas", revelou o empresário.

Nos oito dias em que passou preso, Laerte disse que foi bem tratado, mas que "não há instalação adequada quando se dorme no chão, em um colchonete". Ainda revelou que, assim que chegou, lavou logo o banheiro, pois não sabia quanto tempo passaria ali.  

 

comentários