Alimentos ajudam a dar adeus à preguiça

Com os alimentos certos é possível ter a vitalidade que o corpo precisa para enfrentar a rotina e não esmorecer no caminho

Oleaginosas Oleaginosas  - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Você já deve ter se perguntado de onde vem a energia que te faz levantar da cama e encarar o dia atribulado. A mesma disposição útil para o corpo também enfrentar esses dias quentes e a mente se projetar para o recomeço do ano. Pois essa resposta está na quantidade de carboidrato ingerida, capaz de fornecer um combo de nutrientes essenciais à vitalidade das células e, como consequência, dar uma forcinha à sua lista de atividades.

Segundo pesquisas na área de saúde, quem faz uso correto de aporte energético consegue aumentar a eficiência do metabolismo em 5%, oferecendo as condições necessárias para o organismo não esmorecer no caminho. Para essa missão, entram em cena itens básicos, como cereais integrais, a exemplo de arroz, aveia, milho, centeio, linhaça e quinoa. “Esse carboidrato, quando consumido, será convertido em molécula de ATP, essencial para as células liberarem energia”, garante a nutricionista Tamyres Batista.

A questão para muita gente é escolher essas fontes em meio a um bombardeio de opções nas prateleiras dos supermercados. Segundo o nutricionista Marinaldo Lustosa, é preciso pensar em carboidrato de maneira saudável e não apenas por uma nomenclatura industrial. “Produtos à base de açúcar puro dão picos imediatos de glicose, que não se sustentam ao longo do dia. Por isso, é preciso fazer uma seleção que forneça disposição de forma durável e que não se perca tão rapidamente”, diz ele, ao ilustrar os momentos de cansaço pós-festa, que fazem muita gente recorrer a ingredientes de caloria vazia e de benefício momentâneo, emergencial às condições do corpo naquele momento.

“O contexto de energia também inclui proteção imunológica. Ou seja, entender tudo a respeito da comida”, acrescenta Lustosa. É o que defende a americana Cynthia Sass em muitas das suas publicações sobre alimentação saudável e funcional. Ela reforça que produtos à base de estimulantes artificiais são, em sua maioria, compostos por ingredientes processados, capazes de provocar uma sobrecarga ao organismo. Leia-se mais exaustão do que antes.

Por onde começar
A velha máxima do prato colorido e variado à mesa também se a­plica no aporte energético. “Inclua o ovo, esse superalimento, porque ele é rico em proteína, gordura e vitaminas do complexo B. Tão benéfico quanto às frutas secas, co­mo uva-passa e damasco, e as oleagino­sas, a exemplo de castanha, no­­zes, amêndoas e pistache, que são as melhores fontes de gordura, fibra e proteína ao mesmo tempo”, sugere a nutricionista Débora Correia.

Leia também:
Mulheres no comando da gastronomia
Sabores: consolidação, expansão e despedidas na gastronomia
Terroir cruza gastronomia e cultura Brasil afora


No quesito frutas, a dica para esses dias de calor e reconstrução das células é aumentar o consumo de melancia e melão. “Por serem compostos basicamente de água, eles combatem a fadiga e mantêm o corpo hidratado. Essa água, aliás, é quem faz o transporte de todos os nutrientes no sangue, além de ser a responsável por desintoxicar o organismo, eliminando resíduos”, completa a especialista. Um cálculo mínimo de quantidade hídrica para cada pessoa é multiplicar o peso por 30 e obter o resultado em mililitro.

Sucos revigoram o organismo

Sucos revigoram o organismo - Crédito: Ed Machado/Folha de Pernambuco

 

Separe o joio do trigo
De modo geral, há uma lista maior de itens que espantam a preguiça e levantam os ânimos. Mas eles estão enquadrados em categorias com funções à parte, que devem ser levadas em consideração. “Existe uma diferença entre os alimentos energéticos, compostos principalmente pelos carboidratos, e os termogênicos, que são aqueles com capacidade de elevar a temperatura do corpo e proporcionar queima de gordura. Já os afrodisíacos são aqueles responsáveis por vasodilatação e estímulos hormonais”, orienta Tamyres Batista.

Por outro lado, não há ingredientes diretamente ligados ao consumo de energia, vulgo sabotadores. Nesses casos, a indisposição pode estar vinculada ao mal-estar gerado por um cardápio carregado de gordura de difícil digestibilidade. É como comer carne vermelha em excesso e se sentir indisposto ao longo do dia. Assim como um prato repleto de feijoada e copo sempre abastecido de alguma bebida alcoólica. Tudo isso regado a uma vida sedentária e de poucos hábitos saudáveis. Vale repensá-los como meta para 2019.


Alface
Rica em lactucina e fosfato. A primeira ajuda a diminuir a sensação de fadiga e a segunda, de acordo com pesquisas, tem o poder de combater o cansaço e até mesmo depressão

Água de coco
Esse é um verdadeiro antioxidade natural. É repleto de vitaminas e minerais que melhoram a circulação sanguínea e mantém o corpo devidamente hidratado

Açaí
Esse é rico em fibras, cálcio e vitamina C. Mas é preciso tomar cuidado com o jeito em que é consumido, às vezes abastecido por ingredientes calóricos

Banana
Essa é a fruta do triptofano, aminoácido responsável pela serotonina, capaz de regular o humor (para melhor). Ainda há pesquisas garantindo que a banana ajuda a diminuir o estresse

Iogurte natural
Excelente probiótico. Daqueles que reorganizam o sistema imunológico para manter os níveis de energia em alta no corpo 

 

Veja também

McDonald’s inaugura restaurante na Zona Norte do Recife
Fast Food

McDonald’s inaugura nova unidade na Zona Norte do Recife

Confira lançamento do Negroni Milanese Riposato no mercado de destilados
Destilados

Confira lançamento do Negroni Milanese Riposato no mercado de destilados