Alimentos de época: benefícios para o corpo e o bolso

Conheça os alimentos do período e defina seu cardápio de acordo com a safra

Professor de relações internacionais e cientista político Thales CastroProfessor de relações internacionais e cientista político Thales Castro - Foto: Jedson Nobre / Arquivo FolhaPE

Na lista de supermercado tem sempre um grupo de alimentos à venda o ano inteiro. Mas encontrar determinada fruta, verdura ou legume em certa época, quando a colheita não está nos melhores dias, pode ser uma missão difícil, e de baixo custo-benefício, a quem não estiver disposto a ser flexível na preparação do cardápio. Comer de acordo com a estação traz benefícios para o corpo e um alento ao bolso, num período em que a gastronomia pede mais consciência sobre a mesa.

A orientação é lógica e até justa quando se pensa que os produtos naturais cumprem seu ciclo, apurando nutrientes a partir das interferências climáticas, para desenvolver sabor, aroma e textura notáveis em períodos específicos. Quer ver na prática? O morango que você encontra hoje pode não estar tão bom quanto no meio do ano, entre junho e outubro, considerado o período de comercialização. O preço nem se fala, certamente o dobro do normal. Isso porque o sol agora está com tudo e, no verão, a relação de produtos locais é específica para uma plantação mais resistente à temporada de calor.

Na seleção de produtos de grande oferta e boa opção de compra no Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa-PE), janeiro é um mês que não falta frutas e hortaliças nas bancas. É época farta de alface, cebolinha, repolho, abacaxi, acerola, mamão, goiaba e tantos outros itens queridinhos do bom cozinheiro nordestino. A relação não muda muito em fevereiro e só começa a variar a partir de março, quando demais insumos ganham destaque com a mudança de temperatura e a incidência de chuvas.

Variações
Em se tratando de clima, a estiagem é uma das responsáveis por certos distúrbios nesse calendário. “O problema vem se agravando ao longo dos anos, quando determinadas espécies começam a retardar seu desenvolvimento por conta da escassez de água”, alerta o engenheiro agrônomo Egídio Bezerra. A solução tem sido intensificar o processo de irrigação e até mesmo de hormônios vegetais para que o produto continue cumprindo seus períodos de safra.

O tomate, por exemplo, é um fruto bastante sazonal por ser sensível às intempéries. Não é à toa que vira e mexe seu preço final sofre alterações repentinas. “Também é importante considerar que o ciclo de frutas e vegetais leva em conta as características do fotoperíodo, ou duração do dia em relação à noite, variando de acordo com as estações do ano”, acrescenta Egídio, que ainda lembra a diferença para as hortaliças, que são capazes de resistir às interferências climáticas ao receber o auxílio de estufas.

Cozinha
Quando o produto está na época, a diferença é logo percebida aos olhos. Segundo a nutricionista Daniela Lima, ao atingir o auge da maturação, a comida demonstra sua característica mais valiosa de cor e tamanho. “É mais evidente nas frutas, por apresentarem casca fininha e viçosa, além de coloração intensa e peso acentuado”, detalha. Em termos de nutrientes, vitaminas e sais minerais estão mais concentrados do que nunca.

O ingrediente exato na hora certa pode valorizar o sabor de uma receita e potencializar a saudabilidade. “O molho de tomate caseiro, por exemplo, fica ácido se seu ingrediente principal ainda estiver verde. Alguns cometem o grande erro de adicionar açúcar para mascarar esse equívoco, quando o correto é ter naturalmente o sabor no ponto e a cor bem avermelhada”, explica o chef Robson Lustosa.

Para ele, que lida diariamente com as produções gastronômicas, seguir o consumo sazonal é atitude capaz de enriquecer toda uma cadeia produtiva. “O ingrediente chega mais fácil às gôndolas por se tratar de algo da região, que não precisou ser importado para atender à demanda do período e, certamente, veio de um produtor local que se beneficiará com a minha compra”, conclui o chef.

Tabela de ofertas de janeiro no Ceasa-PE:

Hortaliças:

Acelga, Agrião, Aipo, Alface, Cebolinha, Coentro, Couve comum, Couve Flor, Espinafre, Hortelã, Repolho, Salsa, Berinjela, Feijão Verde, Maxixe, Melancia, Melão Espanhol, Pepino, Pimentão, Quiabo, Tomate, Vagem, Alho nacional e importado, Batata Doce, Cenoura, Nabo e Rabanete

Frutas:

Abacate, Abacaxi, Acerola, Banana comprida, pacovan e prata, Cajá Umbu, Cajú, Coco Seco, Goiaba, Graviola, Jaca, Laranja Pera, Limão taity, Mamão formosa e hawai, Mangaba, Maga espada, rosa e Tomy, Pitanga, Sapoti, Tamarindo, Tangerina cravo, murcott e Umbu

Receita:

Os ingredientes deste mês formam uma salada que não faz feio no verão.

A dica de molho é do chef Robson Lustosa

Ingredientes

125ml de azeite de oliva
50ml de vinagre de arroz
45g de mostarda amarela
20g de mel
70ml de sumo de laranja
Raspas de uma laranja
Raspas de limão
Sal e pimenta branca a gosto

Preparo

Bata os ingredientes líquidos no liquidificador e, por fim, acrescente as raspas. Está pronto para servir!

Veja também

Dois brasileiros estão em lista '50 Best' de jovens que transformam a gastronomia
Sabores

Dois brasileiros estão em lista '50 Best' de jovens que transformam a gastronomia

Itens como macaxeira fornecem energia e garantem o fortalecimento do sistema imunológico
Saúde

Itens como macaxeira fornecem energia e garantem o fortalecimento do sistema imunológico