Alimentos que ajudam a diminuir a ansiedade

Conheça o cardápio que ajuda a reduzir os sintomas ligados a questões emocionais

Alimentos contra a ansiedadeAlimentos contra a ansiedade - Foto: Arte/Folha de Pernambuco

Quem abre a geladeira de casa depois de um dia difícil, encontra na comida o conforto imediato às sensações ruins. É como se, naquele momento, tudo fosse amenizado em nome da alegria e bem-estar que certos alimentos proporcionam instantaneamente. É nesse exato momento que a escolha deve ser repensada em nome dos ingredientes que ajudam a combater sentimentos de inquietação e irritabilidade. Você saberia dizer quais são eles?

De acordo com a nutricionista Cintya Bassi, do Grupo São Cristó­vão Saúde, a rotina carregada po­de ser grande causadora de fadiga física e emocional, que leva a desenvolver esses quadros de ansiedade. Para começar, ela indica itens ricos em vitaminas do complexo B, necessários para o funcionamento adequado do sistema nervoso e de carboidratos que fornecem energia. Em seguida, repor substâncias como o magnésio, que estimula o cérebro e aumenta a sensação de tranquilidade. Acelga e espinafre são ótimas pedidas.

“Ainda, frutas vermelhas como amoras, framboesa, cerejas e outras, bem como algumas especiarias, como o gengibre, que são alimentos antioxidantes e, portanto, reduzem os níveis de cortisol, combatendo a ansiedade”, destaca a especialista, que completa essa lista do bem com lentilha, feijões e aspargos, abundantes em ácido fólico, úteis na prevenção à depressão, por colaborar com a produção de serotonina no cérebro.

Já a nutricionista Isis Graziela Rodrigues lembra a importância de fortalecer a microbiota e oferecer nutrientes antiinflamatórios e ricos em ômega 3, magnésio, vitamina B6, vitamina D, entre outros. “inclua sardinha, salmão, atum, linhaça, banana, castanhas, cereais integrais, aveia, chocolate integral e folhas verdes escuras. Abacate também é uma excelente estratégia pois ajuda a reduzir o cortisol - hormônio relacionado ao estado de alerta”.

Para a nutricionista Helenice Rosa, é importante abastecer a despensa com produtos ricos em triptofano, como banana, aveia e cacau. “Excelente consumir todos os dias. Em lanchinhos, ou antes de dormir, para melhorar a produção da melatonina. Outra dica é o grão- de-bico. Não à toa, ele é conhecido como o grão da felicidade e pode ser usado em refeições ou em diversas receitinhas com a farinha dele, até em docinhos ou omelete sem ovos, o grãomelete”, sugere.

Leia também:
Ervas e temperos: ingredientes na panela e para a saúde
Desnutrição e obesidade: dois enormes problemas
Pimenta-do-reino é a rainha das especiarias


Cuidado com o impulso
Mas a questão que passa despercebida para muita gente é saber diferenciar a fome verdadeira da atitude de impulso. A maneira mais fácil de fazer isso, segundo Cintya Bassi, é beber um copo d’água e aguardar alguns minutos. “Se ainda assim o estômago parecer vazio, busque algo saudável e dedique tempo para as refeições, preparando e mastigando bem os alimentos”, completa.

Além disso, quando chegar em casa, não vá direto para a cozinha. É importante descansar e respeitar o horário certo para a alimentação. Ao preparar o prato, não comece a comer antes de sentar à mesa. Quando estiver bem acomodado, tente mastigar bem os itens, focando nos benefícios para o corpo e não no que pode estar saboroso naquele momento. Os ingredientes estimulantes do sistema nervoso, por exemplo, devem ser consumidos com moderação. “É o caso de energéticos, refrigerantes à base de cola e cafeína, chocolate ao leite, álcool, excesso de açúcar e gorduras”, finaliza.

Veja também

Cuscuz tem indicação como Patrimônio Imaterial de Pernambuco aprovada pela Alepe
Regional

Cuscuz tem indicação como Patrimônio Imaterial de Pernambuco aprovada pela Alepe

Diageo expande cobertura de fundo de R$ 15 milhões para bares e restaurantes em Pernambuco
Fundo

Diageo expande cobertura de fundo de R$ 15 milhões para bares e restaurantes em Pernambuco