Nutrição

Arroz: conheça os diferentes tipos, qual é o mais indicado e como preparar o alimento

O arroz é um alimento bastante nutritivoO arroz é um alimento bastante nutritivo - Foto: Pixabay

Formando uma dupla imbatível com o feijão, o arroz costuma estar presente no cardápio diário da maioria dos brasileiros. Em outras cozinhas ao redor do mundo, ele também faz sucesso, graças a sua versatilidade e facilidade no preparo. Embora o arroz branco - também conhecido como agulhinha - seja o mais popular nos pratos dos brasileiros, há muitos outros tipos mais recomendados pelos nutricionistas.

De acordo com os especialistas, o arroz é um bom alimento para a saúde e não precisa ser cortado da dieta. “Ele é rico em carboidratos, que fornecem energia para o nosso corpo, e pode sim fazer parte da nossa alimentação no dia a dia”, afirma a nutricionista e gastrônoma Sophia Andrade.

O arroz também é fonte de vitaminas A e as do complexo B, sais minerais, selênio, zinco e potássio. “Ele é fonte de alguns aminoácidos, como a metionina e a cisteína, que formam proteínas no corpo humano. Combinado com o feijão, por exemplo, oferece todos os aminoácidos essenciais para o nosso organismo”, explica Helen Lima, nutricionista, mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos e docente universitária.

Entre os diferentes arrozes disponíveis no mercado, os mais recomendados pelos especialistas são os integrais. Em comparação com esse, o branco possui uma concentração menor de vitaminas e minerais, já que no seu processo de refinamento ele perde o gérmen e a casca.

“O arroz integral é menos calórico, além de oferecer uma carga de fibras muito maior. Isso favorece um trânsito intestinal adequado e uma redução dos níveis de glicose no sangue, o que é importante para pacientes com diabetes”, destaca Helen.

Outro tipo de arroz bastante conhecido dos brasileiros é o parboilizado, que passa por uma espécie de pré-cozimento, sendo imerso em água aquecida. Ainda que perca uma boa quantidade de fibras nesse processo, o arroz parboilizado é mais indicado do que o branco, já que consegue reter parte dos nutrientes antes perdidos em sua casca. Há ainda o arroz vermelho, muito comum no Sertão nordestino, além de outros menos populares, como o preto, o selvagem e o jasmine.

Escreva a legenda aqui

A forma de preparo do ingrediente é outro ponto que deve ser levado em consideração pelo consumidor. Segundo Sophia Andrade, o tradicional e prático arroz escorrido não é o modo mais vantajoso para a saúde. “Com a água daquele cozimento, que a gente vai descartar depois, vão embora vários nutrientes que são importantes para o organismo”, alerta.

Refogar o arroz pode ser uma opção de preparo viável, mas é necessário tomar alguns cuidados. Helen Lima chama atenção para a utilização de temperos artificiais na receita, que podem elevar o seu teor de sódio e de gorduras. “Você pode preparar com um óleo vegetal em pequena quantidade, como o azeite, adicionando cebola e alho, ou ainda ervas, açafrão, que tem uma importante função imunológica”, diz.

Sophia Andrade ainda indica inserir outros ingredientes junto ao arroz para enriquecê-lo nutricionalmente. “Podemos colocar vegetais, como brócolis, cenoura e beterraba, além de outros grãos, como lentilha e grão-de-bico”, aconselha.

Veja também

Dia do Garçom: conheça histórias de profissionais antigos no Recife
Gastronomia

Dia do Garçom: conheça histórias de profissionais antigos no Recife

Aprenda os truques do bolo inglês tradicional
Receita

Aprenda os truques do bolo inglês tradicional