Sabores

Bom senso no São João

Profissional indica substituições saudáveis nas receitas juninas

Substituições de ingredientes e detox pós-festa ajudam na redução de danosSubstituições de ingredientes e detox pós-festa ajudam na redução de danos - Foto: Da editoria de Arte

A culinária é uma atração à parte nas festas juninas. Canjica, pamonha, pé de moleque e tantos outros pratos típicos são indispensáveis para muita gente neste período do ano. O difícil é resistir a todas essas guloseimas, mas para quem se preocupa com uma alimentação saudável e quer manter a boa forma, ter equilíbrio é fundamental. Seguindo algumas recomendações básicas, é possível se deliciar sem culpa.

Segundo a nutricionista e coach em emagrecimento Gilcelia Barbieri (@gilceliabarbierinutri), não é necessário excluir nenhuma comida específica, desde que a quantidade seja ajustada à necessidade nutricional de cada um. “Não precisa comer como se o mundo fosse acabar, mas apenas o suficiente para a sua saciedade.

Afinal, são pratos que encontramos praticamente o ano todo na nossa Região”, pondera a especialista, que destaca a importância de consultar um profissional em nutrição para adequar essas comidas a um plano alimentar personalizado.

É verdade que a maioria das delícias juninas é produzida com ingre­dientes ricos em calorias e gorduras, mas que também apresentam vá­rios benefícios ao organismo. “De­vemos lembrar também que o milho é um alimento funcional, ri­co em vários nutrientes e compostos bioativos.



Ele é fonte de antioxi­dantes (luteina e zeaxantina) e, portan­to, promove a proteção dos o­lhos. Também é rico em fibras, que traz saciedade, e em várias vitaminas e minerais, contribuindo para a saúde do coração e o fortalecimen­to do sistema imunológico”, explica.

Outra vantagem do principal ingrediente da culinária junina apontada pela nutricionista é que ele pode auxiliar na hora de curtir aquele forró agarradinho. “Como o milho é fonte de carboidrato, ele vai dar energia para dançar. Então, vale arrastar o pé no salão a noite toda que não vai ter problema. Você vai gastar esse carboidrato todo dançado”, afirma.

No entanto, se sua dieta for mais restritiva, algumas substituições podem ser feitas na hora de preparar os principais pratos da época. Tudo depende do contexto alimentar e dietético do paciente.

“Não só pensando nas calorias, mas também nos pacientes que não podem consumir açúcar, pode ser usado adoçante culinário, como xilitol e eritritol. Nas preparações com leite de coco, você pode substituir por leite desnatado ou semidesnatado, que têm menos gordura”, ensina.

Leia também
Otimismo na venda de milho para o São João
Aprenda a fazer a tradicional cuca de banana

Quem não resistir e acabar comen­do ou bebendo mais do que deve­ria também não precisa se deses­perar. Caso você exagere nas fes­tas, Gilcelia recomenda retomar a alimentação normal, beber muita água e apostar nos exercícios físicos. “Chás como dente de leão, cavalinha e boldo são sempre bem-vindos. Não é necessária nenhuma die­ta maluca ou passar fome”, acalma.

Veja também

Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança celebra 30 anos
celebração

Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança celebra 30 anos

Zona Norte do Recife terá novo restaurante de comida asiática; conheça o futuro Omar
Gastronomia

Zona Norte do Recife terá novo restaurante de comida asiática; conheça o futuro Omar