Cá-Já: lugar que parece um abraço apertado

Novo restaurante, nos Aflitos, serve menu brasileiro com afeto e técnica apurada

Levinho: peixe do dia tem purê de couve-flor e erva-doceLevinho: peixe do dia tem purê de couve-flor e erva-doce - Foto: Wagner Ramos/Divulgação

Do terraço do novo Cá-Já duas cenas conquistam na chegada. A primeira é o simples fato de se estar num casa erguida em 1950, na rua Carneiro Vilela, nos Aflitos. Resistente ao entorno, ela abre para um corredor em direção ao que de fato se tornou o lugar. Um restaurante longe da afobação (e afetação) do lado de fora.

Mais dois passos e a imagem seguinte é a do consultor desse projeto, Alan Machado, acomodando um a um no terraço coberto por pés de acerola e mangueira. Quem chega é recebido com o mérito de parente bem quisto, que merece beber e comer junto aos seus.

E que comida! Na intenção de criar a tão falada experiência à mesa, o visitante se depara com um cardápio enxuto, diferente para almoço e jantar, e certeiro em cada proposta. Nada de ingredientes complicados ou técnicas rebuscadas ao leigo. Ele atrai pelo sabor da cozinha simples, bem cuidada e de referências afetivas. Próximas. Muitas, aliás, vividas pelo chef e sócio Yuri Machado.

Figura jovem e inquieta que rodou mercados nacionais e estrangeiros até enraizar a completa relevância do insumo local na sua gastronomia. Porque, sim, coração de galinha tem mérito para não ser só um espetinho de churrasco, mas proteína principal de um vinagrete com ervas, na sugestão de entrada no almoço (R$ 19,90).

Ervas, temperos e outras vidas da cozinha aparecem aos montes por lá. Elas dão frescor à receita, como nos pratos do dia feitos para dividir entre uma conversa e outra. A peixada, com o caldo consistente, serve muito bem duas pessoas, ainda com pirão e arroz branco (R$ 60,50).

Outras duas pedidas fecham a lista de principais: favada, rabada e galinhada da mama. Como à tarde o calor é inevitável, não faça o pedido sem um drinque da carta assinada pelo bartender Luciano Melo - o da casa é à base de rum - ou a cerveja artesanal Pernambucana, armazenada em growler de 1 litro (R$ 25,90), pela Cibrew. É reforço dos bons ao lado de outras ‘resenhas’ locais, como o abanador e o chapéu de palha, que você, certamente, já viu alguém rendendo postagens nas redes sociais.

Aos detalhes
A vida digital do Cá-Já é mesmo tão agitada quanto a do quintal. Todo mundo se encontra, nem que seja na playlist própria, criada no aplicativo Spotfy. Por trás de todo esse andamento, outro nome fecha a concepção da casa. A também sócia Marina Moneta, formada em Hotelaria, quando não está entre os clientes, circula sem parar pelo backstage.

Ela confirma a impressão de que cada envolvido no projeto responde pela habilidade que tem. E eles se completam. “A casa está exatamente do jeito que pensamos, só com a intenção de melhorar”, solta Alan, numa dessas paradas em mesa, adiantando que uma área climatizada dentro do imóvel promete entra em cena.

Na intenção de ter um estilo, sem abrir mão do democrático e despretensioso, há recursos como o uso da louça de ágata, no serviço do dia, e o enxoval da Cerâmica do Cabo, à noite. É detalhe de encher os olhos. Imagine, então, que no jantar tudo se preenche com beliscos que caem bem com vinho. Leia-se ceviche de peixes frescos, incluindo a surpresa de pedaços de batata-doce assada (R$ 27,70).

De principal, o coração de boi é uma carne tenra no palito, bem temperada, que vai ao lado do arroz roscovo - inspiração peruana que leva shoyu, molho de ostra, ovo e alho-poró (R$ 36,90). Feche a conta com mais dois prazeres finais. O primeiro é na escolha de um doce.

A dica aqui é para o creme de maracujá com gelatina de hibisco, servido em copo grande Americano (R$ 14,30); e alguns goles no café próprio, com torra do Kaffe, no método Clever. Vai à mesa arrumado numa bandeja de madeira ainda com os biscoitinhos amanteigados de Berna, mãe de Yuri e Alan. Eles dão sentido ao que diz o trecho da música Cá-Já, por Caetano Veloso: “tudo é tanto amor”.

SERVIÇO
Cá-Já Restaurante
Endereço: rua Carneiro Vilela, 648, Aflitos
Informações: 3126.0648
Instagram: @vempracaja

Veja também

Aprenda a fazer um camarão flambado na cachaça
Almoço

Aprenda a fazer um camarão flambado na cachaça

Armazene frutas e verduras no lugar certo
Em casa

Armazene frutas e verduras no lugar certo