Gastronomia

Muito além do fast-food: conheça as comidas americanas que o brasileiro mais consome

No seu cardápio, uma, entre dez comidas, deve ser americana. Confira os itens de sotaque gringo que brilham em solo brasileiro

Frankhaus: cachorro-quente segue na preferênciaFrankhaus: cachorro-quente segue na preferência - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Se nos últimos dias a eleição nos Estados Unidos aproximou o brasileiro dos fatos americanos, na gastronomia os dois territórios andam mais juntos do que nunca. Isso porque o cardápio de cafeterias, restaurantes e lanchonetes não deixa de reservar espaço a receitas de sotaque gringo, que atendem a alta demanda. Basta olhar para o cardápio e ver que essa americanização vai além do tradicional combo formado por hambúrguer, refrigerante e batata.


Segundo o gastrônomo e historiador Frederico Toscano, a origem do consumo se dá na década de 1930, no período em que a mídia da época se mostra mais industrializada e acessível ao Brasil, como se via no rigor técnico dos filmes hollywoodianos. “Muita coisa veio nessa época. Mesmo com os Estados Unidos passando pela Grande Depressão, tinham uma estrutura de país desenvolvido e as pessoas aqui ficavam maravilhadas com isso”, diz ele, que pesquisou o assunto para sua tese de doutorado em História. 

Hábitos estrangeiros, como o simples ato de comer cachorro-quente durante a partida de beisebol, eram ilustrados por filmes e revistas. “E as pessoas começavam a tentar introduzir isso por aqui. Afinal, se o americano é tão próspero e lá dá certo, vamos fazer também”, completa Toscano. Na década de 1940 não foi diferente, ainda mais intensificado com a Segunda Guerra Mundial e a presença de bases militares em alguns pontos do Brasil, incluindo o Recife. “Era uma tentativa bem-sucedida de Washington de fazer com que a América Latina gravitasse na sua zona de influência e assim foi em diversos setores, inclusive na alimentação”, completa. 


Cachorro-quente
Essa é a típica comida de rua americana muito bem adaptada ao território nacional, por conta da facilidade em combinar - e comer - pão com salsicha, molhos e acompanhamentos. Na Zona Norte do Recife, o Frankhaus Original Hot Dogs não deixa mentir em relação à preferência ainda firme no mercado. “Algumas produções seguem precárias e vi a oportunidade de usar fornecedores locais para algo mais autoral”, explica o idealizador Eduardo Borba, que montou um quiosque na área externa do Mercado da Torre, onde ele consegue um cenário sob medida para servir o produto ao ar livre.

São oito variações robustas no cardápio, com destaque para o Berlim, que se aproxima do típico hot dog de rua, feito com pão brioche, salsicha frankfurt, ketchup, maionese, mostarda e batata palha caseira (R$ 14,90). Já o Dog Hamburgo é uma receita desenvolvida por Eduardo, com ketchup da casa, picles de pepino e cebola roxa (R$ 16,90).


Torta de Maçã
Embora sua origem seja britânica, foi nos Estados Unidos que a torta recheada de maçã se popularizou e chegou aos quatro cantos do mundo. Tão perfeita para ir à mesa com café, que há tempos tem sido item onipresente nas cafeterias recifenses. Um fornecedor atuante é a Comfy Baking, que produz sob encomenda e abastece diversos pontos da cidade.
 
“A receita não é difícil de replicar, mas foi um chute se o público ia gostar do tempero diferente. Normalmente, aqui, nas tortas de maçã ou produtos com maçã, só se usa canela. E a tradicional americana tem um mix de especiarias”, aponta a confeiteira Ana Carolina Pinho, que notou aumento de vendas a partir do isolamento social e no interesse das pessoas de comprar para presentear. As pequenas custam de R$ 8 a 12. A maior R$ 60.

 

CoffeTown Recife: panqueca  entre as queridinhas das manhãsCoffeeTown Recife: panqueca entre as queridinhas do café da manhã


Panqueca
Parece estranho comer massa de trigo com bacon, manteiga, ovos e mel pela manhã. Mas bem que o recifense gosta da ideia e consome um dos itens mais procurados na CoffeeTown, no Shopping Recife. Segundo a franqueada Letícia Mendonça, o atrativo é a massa de sabor neutro, que pode ser servida na opção de recheio doce ou salgada. Na loja, a combinação clássica, como a descrita acima, pode sair combinada com café e suco de laranja, por R$ 45.


Molho barbecue
O molho de churrasco mais utilizado pelos gringos virou um ingrediente coringa na cozinha brasileira. Normalmente, é utilizado para acompanhar carnes assadas e pode ser pincelado durante a etapa de cocção. Embora algumas variações sejam possíveis, a base é sempre tomate e vinagre. “Os americanos foram muito felizes nessa concepção, por ser um molho completo para frango, bovino, suíno e até ovino, já que compreende o doce, o ácido e o amargo em um só. E o curioso é saber que cada região tem seu próprio barbecue. Na Georgia há o defumado. No Alabama ele é branco pela base de maionese. Já na Carolina do Sul leva mostarda”, conta o pitsmoker Marcello Coelho, da loja Dama de Ferro BBQ.


Hambúrguer
Um velho conhecido do brasileiro chegou em território americano por imigrantes alemães. Mas colocada a história de lado, o que se vê ao longo dos anos é uma receita adaptada ao paladar de todas as culturas. Na Yankee hamburgueria, no Rosarinho, a referência norte-americana começa no nome. Já no cardápio, esse DNA passa pelo uso de ingredientes simples, mas bem elaborados, a exemplo de casas como o Shake Shack, em Nova York. “Fomos lá mais de uma vez  e vimos produções de alto nível. É o que priorizamos com carne fresca e pão de batata, por exemplo”, diz o sócio Eduardo Arruda, afirmando que a combinação mais pedida hoje leva apenas pão, carne e bacon (R$ 20).  


Cheesecake
O bolo de queijo mais adaptado dos últimos tempos segue na moda. E, você, certamente já experimentou algumas das suas variações por aqui. Uma corrente histórica afirma que a cheesecake foi servida na Grécia antiga durante os Jogos Olímpicos e que se popularizou nos Estados Unidos no século 18, quando diversas regiões testaram a receita. Há quem aposte na calda de frutas vermelhas ou no queijo azul. No Brasil essas interferências passam por chocolate, doce de leite, morango, entre outras opções.

Outros itens:

Uísque bourbon
Refrigerante de cola
Brownie
Costela de porco ao molho barbecue
Onion rings
Frango Frito
Waffle
Macarrão com queijo

Veja também

Curso gratuito e on-line de bolo caseiro acontece dia 20 de Abril
Capacitação

Curso gratuito e on-line de bolo caseiro acontece dia 20 de Abril

Rico em fibras e proteína, cogumelo é ingrediente versátil na cozinha
Saúde

Rico em fibras e proteína, cogumelo é ingrediente versátil na cozinha