Casa do Pará abre filial na Zona Norte do Recife

Rede vende açaí original e versões adaptadas ao gosto dos pernambucanos, além de tacacá, pato no tucupi e farinhas típicas do Norte

Foto de Everton Miguel dos Anjos banhado em óleo repercutiu no mundo inteiroFoto de Everton Miguel dos Anjos banhado em óleo repercutiu no mundo inteiro - Foto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

Que as tigelas de açaí viraram febre no Recife, já não é novidade faz tempo. Quantas redes se especializaram na combinação da polpa batida com xarope de guaraná, mais granola, banana, morango, leite condensado e tantos outros aditivos? Uma rápida contagem mental vai apontar umas três marcas famosas. Mas quando o assunto é o frutinho amazônico de tonalidade que vai do marrom escuro ao roxo intenso, não tem para ninguém. Com lojas em Boa Viagem e Candeias, a marca acaba de inaugurar - depois de muitos pedidos da clientela da Zona Norte - uma filial no coração do Espinheiro.

A Casa do Pará é expert, fundada em 1998 por uma família de paraenses, a única que comercializa o açaí batido apenas com água, semelhante ao modo tradicional de Belém, sem adição de açúcar e acréscimo de alguma das farinhas típicas do Norte, como a de tapioca - que parece bolinha de isopor. Por isso, e por oferecer cardápio com pratos tradicionais do Norte, é porto seguro com apelo afetivo para a comunidade nortista que mora na Capital pernambucana.

Vende pato no tucupi, sopa de caranguejo, maniçoba, casquinho de caranguejo, caldeirada de filhote (o peixe mais cobiçado dos rios do Pará, de carne alva e tenra), pirarucu à casaca e, óbvio, o clássico dos clássicos quando falamos de culinária belenense: o tacacá. Servido em cuia, é a mistura do tucupi (o caldo amarelo extraído da mandioca brava temperado com pimenta), camarões secos, folhas de jambu, o exótico mato que adormece as papilas, e goma de mandioca no fundo do recipiente - por ter uma textura gosmenta, há uma certa rejeição e pode ser retirada do caldo a pedido do cliente.

Um das boas novidades entre as tigelas é o creme de cupuaçu - parece que estamos comendo a fruta em estado puro, é simplesmente delicioso e cheio de personalidade aromática. Mas segundo Bruno de Oliveira, que pilota a filial junto ao sócio Cleyton Valadares, apesar dos poucos dias de inauguração, o público da Zona Norte tem mostrado maior interesse no cardápio de partos salgados da casa, o que é uma surpresa. “Na loja de Boa Viagem (matriz), vendemos nada menos que cinco toneladas por mês de açaí, é o nosso carro-chefe“, revelou o empresário. E que o objetivo é reforçar as tigelas também na unidade do Espinheiro. Lá, são servidas sem açúcar, com demerara, com mel e com adoçante. Produtos típicos, como a cachaça de jambu, as farinhas, os doces e a cerveja Tijuca, são vendidos no local.

Serviço:
Casa do Pará Zona Norte
Rua da Hora, 228, Espinheiro
(em frente à Big Ben).
Informações: 3032.4108

Veja também

Você sabe diferenciar fome e ansiedade?
Exageros

Você sabe diferenciar fome e ansiedade?

Dia da Gula: você tem fome de quê?
Pandemia

Dia da Gula: você tem fome de quê?