Estreias gastronômicas de dar água na boca

Uma boa dose de novidade é o respiro que todo comensal gosta de ter no seu roteiro

Prefeito José Patriota lamentou a partida dos médicos cubanos na cidade, mas prometeu que não faltarão profissionais para cobrirem o municípioPrefeito José Patriota lamentou a partida dos médicos cubanos na cidade, mas prometeu que não faltarão profissionais para cobrirem o município - Foto: Ascom

O País ainda atravessa uma maré econômica difícil, mas especialistas e empresários do ramo de gastronomia afirmam que já chegamos ao "fundo do poço", ou seja, piorar não vai. E não é que no setor de restaurantes essa teoria empírica vem sendo comprovada? Vários novos estabelecimentos têm renovado o cenário de alimentos, abrindo as portas nos últimos meses. Só hoje, trazemos seis casas estreantes de diferentes portes e perfis.

Nesse contexto, todos ganham. Mercado e cliente. Afinal, uma boa dose de novidade é o respiro que todo comensal gosta de ter no seu roteiro de fim de semana ou mesmo nos bons momentos entre segunda e sexta. Percorremos alguns desses lugares que já circulam na boca do povo para te ajudar na missão de desbravar as novas possibilidades.

Brasa no Quintal

É uma ótima surpresa fora do circuitão de hamburguerias. Toda quinta-feira, os amigos André Nogueira e Mateus Azevedo armam a churrasqueira nos fundos da ca­sa onde trabalham, na Encruzilhada, e fazem uma noite de grill food, ou, em bom português, preparam comida na brasa. Uns cortes de carne nobre com farofinha e vinagrete, mas especialmente hambúrguer caseiro. As mesas ao redor da piscina acomodam até 45 pessoas e as reservas são necessárias. Sim, os rapazes não repetem receita. Co­mo a ideia é não seguir formato comercial, André e Mateus anunciam a receita da semana nas redes sociais.

Em nossa visita ao BNQ, comemos o bife de chourizo e um robusto hambúrguer de contrafilé (200g), braseado, coberto com brie e geleia de framboesa, a R$ 25. Aliás, o teto de preço é R$ 30. A informalidade também está presente no atendimento: os rapazes se revezam entre churrasqueira e serviço. É como se estivéssemos no quintal dos amigos. Das 19h à meia-noite. Endereço: rua Antonio Rangel, 166. Instagram @bnquintal.

Solo: contemporâneo repaginado

A casa já é uma grande conhecida do público da Zona Sul, mas o novo nome na fachada já indica há dois meses que a proposta é outra. Trata-se do restaurante Solo, aberto no lugar do antigo Prouvot, no Pina, onde como o próprio nome adianta tem como referência a terra e tudo que surge a partir dela. Quem recebe é o empresário Flávio Marques, que apostou no talento da jovem chef Clara Meneses para continuar a produção da cozinha sem mexer drasticamente no cardápio consolidado. “Preferimos ir com calma, preservando algumas opções e inserindo outras com o tempo”, garante.

Aos olhos, o lugar ganhou tons mais terrosos pensados pelo arquiteto Diogo Viana, responsável também pelas futuras intervenções já programadas para o lugar. A ideia do proprietário é deixar o ambiente cada vez mais convidativo e informal. Na mesa, o cardápio de madeira vazada lembrando um cobogó faz ares de escultura assinada pelo designer Guilherme Luigi. “Queremos que o pessoal venha não só pela carta de vinhos, mas também para um drinque com os preparos do nosso mixologista da Pernord Ricard”, acrescenta. O menu continua servindo almoço e jantar, mas ganhou pedidas de personalidade como o atum selado acompanhado de vinagrete de banana e uma mousseline leve e aerada de batata doce com gengibre (R$ 56). Endereço: Av. Herculano Bandeira, 267, Pina. Informações: 3031.3221.

Confeitaria de essência portuguesa

A mensagem que fica para quem visita a recém-inaugurada Confeitaria Pernambucana, em Apipucos, na Zona Norte, é de que comida pode ser servida com contexto. Isso porque um antigo armazém de secos e molhados no Recife, no século 19, foi restaurado para continuar a história da família Monteiro da Cruz e sua tradição secular no preparo de doces portugueses. “Minha tataravó Maria Rosalinda tinha esse dom que foi repassado por gerações até resultar num livro de receitas”, adianta o empresário Sérgio Poggi, que toca o projeto com a mãe Maria de Fátima Alves.

Entre os preparos, o pastel de Belém (R$ 5), servido quentinho e com canela, já alcançou a marca de mil saídas em um único final de semana. Por trás do balcão de atendimento, o tampo de uma antiga mesa foi fixado na parede e agora serve de quadro listando bolos e pães artesanais, sem falar nos sanduíches de queijo e pernil, que podem acompanhar café ou chá. “É grande a diversidade de preços e produtos, vai desde o pastel de nata, por R$ 4, até a garrafa de Veuve Clicquot, por R$ 450”, explica Poggi, que agregou sua experiência com a Movelaria Pernambucana, de 1914, para conduzir a restauração da casa e a catalogação dos objetos do antiquário. Nessa atmosfera classuda ainda saem pedidos como o folhado de massa artesanal recheado com salmão, creme fresco de natas e alecrim, sempre de terça a domingo. Endereço: Rua de Apipucos, 1230, Apipucos. Informações: 3132.2007

Mexicano abrasileirado

Quando finalizou o curso de gastronomia no Senac-PE, há dois anos, a chef Maria Carolina sabia que suas preferências a levariam pela linha da culinária mexicana. O gosto pelas cores, sabores e pimentas daquele país, serviu de inspiração na montagem do seu Bendito Taco, aberto há alguns meses numa galeria no Espinheiro, na Zona Norte. Por lá, ela se dedica a dar seu toque pessoal em receitas tradicionais como o taco de filé de porco, com queijo, cebola refogada, tomate fresco, que ganha o caldo cítrico dos cubos de abacaxi (R$ 11). “A fruta aproxima a receita ao paladar nordestino e ameniza o ardor em algumas situações”, defende. Por falar em regionalismo, mal abriu a casa e já oferece opções veganas e vegetarianas, como o taco de carne de caju em que a fruta é desidratada para ganhar textura de carne e então temperada ao molho curry (R$ 13). O cardápio ainda tem quesadilla, burrito e nachos. Aliás, uma das opções mais pedidas está revelada na nossa seção Passo a Passo, na página 04.

Beleléu

Hamburgueria com pegada de food park, com mesas de madeira dispostas ao ar livre, e cozinha à mostra - onde se pode ver a comida sendo feita -, tem como carro-chefe, óbvio, os hambúrgueres que contam com o know how do jovem chef Pedro Godoy, mas não deixa faltar também petiscos afinados com a atmosfera do lugar: descontraído e que convida a uns goles de cerveja gelada. A propósito, os rótulos pernambucanos são os astros da carta, falo especialmente da DeBron, Capunga, Ekäut e Babylon.

São do próprio dono, Eduardo Freyre, as dicas de como começar bem a experiência por lá. Sugere o chicken run, feito com hambúrguer de frango empanado com abacaxi caramelizado, temperado com vinho branco, mais bacon, rúcula, parmesão e maionese de pesto. Ou ainda o cupim à moda, dentro de pão australiano recheado com cupim desfiado, devidamente acebolado, salada verde, muçarela, bacon crocante, sourcream e barbecue. Endereço: rua Samuel de farias, 71, Casa Forte. De terça a domingo, das 18h até último cliente. Informações: 99930.9313.

Bode do Nô

Lá se vão mais de 20 anos que Evangelista Severino de Lima, ou simplesmente Nô, comanda o restaurante Bode do Nô que, hoje, forma uma rede com quatro unidades distri­buídas no Recife, Olinda e Cabo. Há cerca de um mês, o filho mais novo de seu Evangelista nasceu com ares bem distintos das origens - com exceção da especialidade do restau­rante, que continua sendo a carne caprina -, mas ganhou uma “embalagem” mais elegante e confortável, com projeto assinado pelos arquitetos Humberto e Analice Zirpoli.

A cozinha também ganhou reforço gastronômico com a consultoria de Erick Buarque, que tratou de explorar ainda mais as possibilidades do bode, mas também ampliou o cardápio com preparos que levam carnes, aves, frutos do mar, além de petiscos. Referências absolutas da culinária nordestina proposta por Erick também são queijo de manteiga, leite de coco, nata, fava, batata-doce, milho, cebolinha, coco, paçoca e capim-santo. Endereço: rua Dr. João Guilherme de Pontes Sobrinho, 245, Boa Viagem. Informações: 99722.4455 e 3455.0912.

Veja também

Pão de queijo tem linguiça de bode e crispy de couve. Aprenda
Receita

Pão de queijo tem linguiça de bode e crispy de couve. Aprenda

Conheça os alimentos considerados patrimônio histórico
Histórico

Conheça os alimentos considerados patrimônio histórico