Fique atento aos limites do consumo de cafeína

Quem exagera na dose diariamente, sente efeitos como ansiedade e pânico

Cafeína só com moderaçãoCafeína só com moderação - Foto: Arte/Folha de Pernambuco

Atire a primeira pedra quem nunca recorreu a um cafezinho para manter aquele pique em um dia cansativo. As horas passam e logo bate a vontade de mais algumas xícaras. Um ciclo vicioso que, segundo os especialistas em saúde, tende a interferir nos níveis de vários neurotransmissores, atuando como estimulantes do Sistema Nervoso Central. Não à toa, em casos mais extremos, é possível associar o exagero de ingestão a crises de ansiedade e pânico.
Na prática,funciona assim: o cérebro fica mais “acordado”, enquanto o restante do corpo corre para acompanhar os efeitos metabólicos. Note que nessa hora o coração e a respiração aceleram e a pressão arterial vai para o alto. Há quem nem consiga ter uma noite de sono tranquila depois de exagerar na ingestão de café, por exemplo. É essa falta de moderação, que ativa sintomas como agitação, taquicardia, tremores musculares, irritabilidade, insônia e até sensação de angústia.
Segundo a nutricionista da Singular consultoria e assessoria em food service, Luana da Paixão Silva, a recomendação é variável, mas, no geral, para um indivíduo adulto saudável fica em torno de 300mg a 400mg/dia. “Isso sem esquecer que a cafeína está presente em chá mate, refrigerante à base de cola, bebidas energéticas e até em alguns medicamentos”, lembra. É esse consumo ao longo do dia que afeta diretamente na quantidade saudável sugerida. “Ainda mais por pessoa com queixas de enxaqueca, esofagite, gastrite, úlceras, gestantes e crianças”, confirma. Aliás, quem sofre com problemas de estômago, o componente químico em questão pode até desencadear uma irritação prejudicial ao órgão. Motivo para os casos de estufamento e acidez aumentarem.
Lado positivo
Mas nem tudo precisa ser regado a efeitos colaterais negativos. Quando há moderação, é possível aproveitar benefícios importantes para a vida moderna. “Como melhorar a concentração, o estado de alerta e usufruir dos efeitos termogênicos”, pontua a nutricionista. Na quantidade certa, a cafeína pode estimular a produção de neurotransmissores como a serotonina e a dopamina, agindo assim como um leve antidepressivo.

Leia também:
Desnutrição e obesidade
Nutrição é fator decisivo na compra
Nutrição na Síndrome de Down
Do ponto de vista fitness, vale lembrar o fato de ela aumentar a temperatura corporal e acelerar o metabolismo, favorecendo o aumento do gasto energético e contribuindo para a redução de gordura que a maioria das pessoas tanto procura. “Mas deve ser associada à atividade física e alimentação equilibrada”, pondera Luana. Razão para uma xícara de café antes do treino, quando acompanhada dos demais nutrientes recomendados para cada pessoa, atuar como um estímulo ideal para a hora dos movimentos.

Veja também

Jessica Pires lança novo cardápio de bolos inspirado nas cores do Natal
Doces

Jessica Pires lança novo cardápio de bolos inspirado nas cores do Natal

Choco Thunder Box: brownie do Outback é a aposta para presentes de fim de ano
Presente

Choco Thunder Box: brownie do Outback é a aposta para presentes de fim de ano