Leite de coco tem gordura do bem

Ingrediente mais famoso da Páscoa é um excelente regulador dos níveis de colesterol do sangue

Leite de cocoLeite de coco - Foto: Arte/Folha de Pernambuco

Difícil ficar indiferente a uma receita que leva leite de coco. Principalmente em tempos de Páscoa. Mas o líquido branco e untuoso, capaz de tirar qualquer prato do contexto trivial, oferece benefícios que vão além do terreno gastronômico. A começar pelo poder de regular os níveis de colesterol no sangue em razão da sua alta quantidade de gordura de cadeia média. Isso diminui os níveis de LDL e aumenta o HDL, que é o colesterol bom.

Segundo especialistas, a bebida também pode ajudar os diabéticos, “por ter bastante gordura que ajuda a manter a glicemia em níveis controlados”, explica a nutricionista Taísa Uchôa. Ela ainda destaca sua composição rica em ácidos graxos, que a torna uma boa fonte de energia. “Boa parte dessa gordura é composta pelo ácido láurico, que é conhecido por suas propriedades antivirais e antibacterianas. É também rico em minerais e vitaminas que devem estar presentes na dieta, como fósforo, magnésio, potássio e vitaminas do complexo B”, acrescenta.

Não bastasse essa lista de benefícios, o fato de ser um leite de origem vegetal significa que ele não possui a lactose e as proteínas de difícil digestibilidade, presentes leite de vaca. Sendo assim, intolerantes, alérgicos e veganos podem consumir sem medo. Mas vale lembrar que, quando feito de maneira artesanal, ou seja, com água e polpa do coco ralada, ele se torna um produto mais saudável, se comparado à versão industrializada com a adição de conservantes.

Preservação – Para contrariar o que foi dito até agora, algumas pessoas podem dizer que ele não é um ingrediente que cai tão bem numa dieta. Elas podem relatar aquela sensação de empachamento, após o consumo em carne, feijão e frutos do mar, por exemplo. De acordo com a nutricionista Fabiana França, eis um mito a ser discutido. “Antes de chamá-lo de remoso, é bom verificar as suas condições de uso. Pois o que conta é sua forma de preparo e estado de conservação. Nada de esperar esfriar ou deixar dois dias fora da geladeira. O prato que será utilizado posteriormente deve ser congelado imediatamente para evitar o risco de contaminação”, alerta. Outro alerta vai pelo fato de ser um laxativo natural, com propriedade que auxiliam no processo digestivo e que somarão ao cardápio e estilo de vida de cada indivíduo.

Leia também:
Alimentos fermentados ajudam na saúde do corpo
O cuidado com a saúde


As pessoas tem esse mito de dizer que é pesado e vai dar diarreia, que vai fazer mal e náusea. O que conta muito é a forma do preparo e os cuidados do preparo, da carne, e seu estado de conservação. Tem gente que prepara e vai usar dois dias depois. E acaba esperando esfriar o alimento pra armazenar na geladeira. Todo o produto preparado que vai ser utilizado posteriormente, ele deve sair do fogo e ser congelado imediatamente pra que o alimento não contamine. Muitas vezes há diarreias não pelo produto, mas pela conservação.

Veja também

Vida de adulto - o que comer?
Saúde

Vida de adulto - o que comer?

Leveza no almoço: prepare uma refrescante salada de jerimum
Receita

Leveza no almoço: prepare uma refrescante salada de jerimum