Agreste

Nez Bistrô promove jantar inédito no Laus Cozinha, na Serra Negra

Experiência enogastronômica será no dia 6 de agosto e terá menu do chef Claudemir Barros

Pôr do sol de tirar o fòlego é ingrediente a mais do Laus CozinhaPôr do sol de tirar o fòlego é ingrediente a mais do Laus Cozinha - Foto: Vanessa Lins/Acervo pessoal

Leia também

• Sopa é Janta! Aprenda três receitas fáceis para aquecer seu inverno

• Aprenda a fazer brownie com base de abobrinha

Não é de hoje que a gastronomia tem sido vivida para além do garfo, faca e um belo prato de louça. Experiência é a palavra que define, cada vez mais, o significado de uma boa refeição. E é uma bela experiência que promete o encontro de dois nomes da gastronomia pernambucana: Nez Bistrô (Recife) e Laus Cozinha, na Serra Negra.

Mônica Tenório, do Nez Bistrô, em Casa Forte, é anfitriã do jantar na SerraMônica Tenório, do Nez Bistrô, é anfitriã do evento na Serra

No próximo dia próximo dia 6 de agosto, os dois restaurantes "se encontram" em um evento único na Serra Negra, no município de Bezerros, no Agreste do Estado, onde fica o Laus, capitaneado pela restauratrice Mônica Tenório, do Nez, junto à dupla Dany Oliveira e Tonico Machado, ambos da casa anfitriã, e menu assinado pelo experiente cozinheiro pernambucano Claudemir Barros. A harmonização enológica será chancelada por Rafaella Barros, sommeilière da distribuidora Zahil. 

LAUSTonico Machado e Dany Oliveira, do Laus Cozinha, se unem ao restaurante recifense para experiência única

O ingrediente a mais do evento Nez/Laus é a vista estonteante de frente para uma serra montanhosa, portanto, o horário da experiência não foi definido à toa: das 16h às 22h, com o pôr do sol de tirar o fôlego de lambuja para os comensais. 

O menu de Claudemir
A experiência "Nez visita o Laus" será das 16h às 22h. O "casamento" das duas casas vai resultar em um menu inédito - que não encontramos na ementa de nenhum dos dois restaurantes - priorizando ingredientes nordestinos, garimpados na região, frescos e em alta de safra, desenvolvidos com técnicas tradicionais, uma marca do trabalho do chef. O jantar será vendido para apenas 50 pessoas. 

O start do cardápio de Claudemir começa com o "Diverte Bocas", composto por um mix de caldinho de mocofava e tartar de sol, mais tapioca suflada e maionese de abacate e páprica. A escolha pelo caldinho é explicada por Barros: “A fava é um ingrediente tão nosso e tão presente nas feiras, que não poderia faltar. Muitas dessas favas são plantadas por pequenos produtores da região”.

Em seguida, a entrada é uma das mais primorosas criações do chef, o brûlée de coalho com pesto de coentro e pão. Aqui, o queijo do dia a dia ganha holofote de iguaria nunca dantes visto por aqui. 

Na sequência, dois pratos principais cheios de personalidade, cores e texturas: peixe do dia recheado com camarão na palha de bananeira, acompanhado de farofa de amendoim, vatapá de jerimum e molho de coco; e suíno confit, roti de beterraba, arroz sertanejo, caldo com vegetais e ervas.

O primeiro é uma assinatura da mais recente fase da carreira do cozinheiro, enquanto o prato com porco tem um significado maior. “Carne inserida em nossa cultura alimentar, apesar de, ainda, haver um certo preconceito - hoje, na maioria dos casos, injustificado”. 

Também é incensada por nordestinidade a sobremesa que arremata a noite especialíssima proposta pelo Nez Bistrô e restaurante Laus. "Caju e castanha" vai explorar o fruto por completo. “Nada mais brasileiramente nordestino que o caju, então, o trago em várias texturas e versões: sólido, líquido e gasoso”, provoca Claudemir.
 
Sobre o Nez Bistrô
Inaugurado em dezembro de 2007, o restaurante ocupa um sobrado do século 17 na Praça de Casa Forte, na Zona Norte do Recife, tombado como patrimônio, onde funcionou como senzala do engenho pertencente à Ana Paes, na antiga campina de Casa Forte. Obras de Romero Andrade Lima e Os Vacilantes, além de uma bela coleção de espelhos antigos, dão o tom da decoração do salão à meia luz.

Sobre o Laus 
Mais que restaurante, o Laus é a maneira de compartilhar uma visão muito pessoal da Serra Negra, que começou a tomar forma a partir 2003. Depois de 15 anos passados, as porteiras se abriram, não para um grande empreendimento, mas para uma casa pequena.

Lá, as receitas são familiares, há felinos e a equipe é formada por vizinhos e clientes que se tornam bons amigos. A paisagem é deslumbrante e, sem dúvida, um tempero extra, mais que isso: é o pulo do gato.  

Sobre Claudemir Barros
Garoto de Jordão Baixo, subúrbio do Recife, o chef Claudemir Barros está há 29 anos na estrada da gastronomia. Já tem, inclusive, um livro pra chamar de seu: Sonhos e sabores. Claudemir é apaixonado pelo povo e a sua cozinha reflete isso. “Ele é um simbolizador de ingredientes que faz da sua comida uma interação que vai além do gosto, e marcada pela sua vocação autoral”, diz o Raul Lody, que assina o prefácio da obra. 

Sobre a Zahil 
Fundada em 1986 pelos irmãos Antoine Zahil e Serge Zehil, a importadora passou a se dedicar exclusivamente a importação de vinhos a partir de 1999. Importa vinho de 70 produtores de 12 países e está presente em mais de mil restaurantes brasileiros.

SERVIÇO
"Nez visita o Laus"
Quando: 6 de agosto, das 16h às 22h
Onde: restaurante Laus - Estrada da Serra Nova, 100, Serra Negra - Bezerros 
Quanto: R$ 230 por pessoa
Mais informações e reservas: 98129.1314
Instagram: Nez Bstrô e Laus Cozinha 

Veja também

Dia do Garçom: conheça histórias de profissionais antigos no Recife
Gastronomia

Dia do Garçom: conheça histórias de profissionais antigos no Recife

Aprenda os truques do bolo inglês tradicional
Receita

Aprenda os truques do bolo inglês tradicional