Quintal Cozinha Pra Torar é bom e barato

Restaurante em Campo Grande é ótima dica de comida brasileira

Rabada é um dos pratos substanciosos do cardápio com bons preçosRabada é um dos pratos substanciosos do cardápio com bons preços - Foto: Anderson Stevens

Comida boa e barata, ambiente agradável mas sem qualquer formalidade, com direito a quintal e mesa embaixo da árvore. O formato de restaurante, que vem fazendo sucesso no Recife, ganhou novo representante. Fora das praças gourmets já super povoadas nas regiões nobres das Zonas Sul e Norte do Recife, o Quintal Cozinha Pra Torar funciona há pouquíssimo tempo no bairro de Campo Grande.

Como um prenúncio de vida longa, o restaurante já lota sem ao menos ter realizado divulgação oficial. Suas comunicações são feitas através do Instagram e o poderoso boca a boca fez do novato (abriu as portas há 50 dias) um caso de sucesso tão cedo.
À frente da casa batizada com expressão local que significa "botar pra lascar" estão o empresário André Tavares e o sócio Kiko Laporte.

André é mineiro, engenheiro civil de formação e dono de uma empresa de refeições industriais. Kiko é pernambucano, cozinheiro há 12 anos, e o responsável pelos acecipes que caíram no gosto dos recifenses.

O cardápio é objetivo, sem descrições firuladas, em que as culinárias pernambucana e mineira convergem em personalidade e fartura. Cabidela (R$ 20/R$ 34), cupim no molho (R$ 25/R$ 46), rabada (R$ 25/R$ 46), arrumadinho de charque desfiado (R$ 25/R$ 46), carne de sol com queijo de coalho (R$ 25/R$ 46) e charque desfiado (R$ 25/R$ 46) representam a culinária das bandas de cá.

Feijão tropeiro com pernil ou costelinha de porco (R$ 25/R$ 46) e pernil ou costelinha com maçã caramelizada (R$ 25/R$ 46) trazem a essência mineira.

Todos os pratos, vendidos em tamanho individual e para duas pessoas, recebem três acompanhamentos que ficam à escolha do cliente. Cumbuca de torresmo (R$ 12), caldinhos (R$ 5/R$ 6) e sarapatel (R$ 14/R$ 20) são algumas dicas de petisco para abrir os trabalhos, como o próprio menu sugere.

E como território mineiro, pelo menos em parte, o principal atrativo etílico não poderia ser outro que não a cachaça. A carta traz seleção de mineiras como a Boazinha, Mata Verde e Serra Morena, além de paraibanas, como Rainha, Serra limpa e Volúpia, e as locais, em que a orgânica Sanhaçu em madeira freijó, produzida em Chã Grande, é destaque absoluto.

E sabe aquela expressão popularizada por um cantor de funk carioca "meu fechamento é você"? Ela cai como luva quando o assunto é a sobremesa do QCPT: dadinhos de tapioca super crocantes banhados de leite condensado. Parece simples? E é. Mas é a dose certa de glicose que você vai precisar para finalizar sua ida à casa-restaurante.

SERVIÇO
Quintal Cozinha Pra Torar - Rua Oliveira Fonseca, 217, Campo Grande
Informações: 3034.9151
Funcionamento: diariamente - de segunda a quinta, das 11h às 15h; sexta a domingo, das 11h às 18h sem intervalo
Instagram: @quintalcpt

Veja também

Tapioca florida é receita fácil para sair do comum
Receita

Tapioca florida é receita fácil para sair do comum

Aos 74 anos, morre Seu Yoshi, do Sushi Yoshi. Um chef que ensinou técnica e otimismo na gastronomia
Luto

Aos 74 anos, morre Seu Yoshi, do Sushi Yoshi- um chef que ensinou técnica e otimismo