Saiba como combater o colesterol

Dia Nacional de Combate ao Colesterol é lembrado em 8 de agosto

Atividades aeróbicas são as principais para baixar taxasAtividades aeróbicas são as principais para baixar taxas - Foto: Pixabay/Diculgação

Anualmente, o 8 de agosto marca o Dia Nacional do Combate ao Colesterol, desequilíbrio metabólico que pode pôr em risco a saúde provocando episódios graves, como as doenças cardiovasculares, infartos, doença arterial periférica e acidente vascular cerebral.

De acordo com pesquisa do instituto Adelphi International Research com 1.547 pacientes e 700 médicos brasileiros, 80% das pessoas não sabem que o colesterol alto pode causar ataques cardíacos. Já o Ministério da Saúde estima que as doenças cardiovasculares causem, em média, 800 mil mortes por ano no Brasil.

Atualmente, cerca de 40% dos brasileiros tem colesterol alto e mais de 17,5 milhões de pessoas no mundo morrem todos os anos, devido às doenças do coração, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Dois terços da população de dez países da América Latina, Europa e Ásia não sabem que as doenças cardiovasculares são as que mais matam no mundo. Tantos números preocupantes indicam que há ainda muito o que se fazer para disseminar informações sobre a doença e seus modos de prevenção nesta data.

E hábitos simples podem ajudar a equilibrar as taxas, como manter uma alimentação balanceada e praticar atividades físicas regularmente. Para o professor de pós-graduação em Nutrição da Faculdade IDE, Deivid Freire, o primeiro passo é diminuir o consumo de alimentos industrializados e processados, que têm uma carga muito grande de gordura trans, influenciando negativamente no colesterol.

COMO EVITAR?
Segundo especialistas, é possível evitar as altas taxas de colesterol LDL (Low Density Lipoproteins) combinando hábitos saudáveis à mesa e mantendo uma rotina fixa de exercícios físicos.

“Entre os principais produtos que devem ser evitados estão as bolachas recheadas, sorvetes, fast food, frituras e enlatados. Estudos comprovam que esses alimentos aumentam o risco de doenças cardiovasculares. Também não precisam ser ‘proibidos’, mas consumidos como exceção”, explica o professor.

Ainda segundo ele, as gorduras boas estão liberadas e são encontradas nas oleaginosas, como castanhas e nozes, abacate, azeite, leite, queijos, carnes e peixes, pois atuam como fator protetor de doenças do coração.

“Muita gente acha que é preciso cortar topo tipo de gordura, mas não é bem assim. O importante é ter equilíbrio e procurar por alimentos mais naturais”, conta Deivid.

E O OVO?

Vilanizado por anos a fio, o ovo de galinha alcançou foi inocentado e virou mocinho. É considerado fonte de gorduras benéficas, principalmente os caipiras, cujas gemas são mais alaranjadas, ricas em ômega 3 e caroteno - famosos antioxidantes (previnem o envelhecimento precoce das células).

“Estudos comprovam que o ovo não faz mal, mas cada pessoa tem uma quantidade certa, de acordo com avaliação nutricional”, esclarece o nutricionista.

Outra dica é consumir o farelo de aveia, rico em beta glucana, importante fibra alimentar que auxilia diretamente na redução do colesterol. “A recomendação é o consumo diário do farelo de aveia, principalmente em grupos de risco de doença cardiovascular”, completa.

MEXA-SE
Mas se você pensou que comer bem - incluindo alimentos que derrubam a gordura no sangue e evitando os que fazem ela decolar -, é o suficiente, enganou-se. Nem pense em ficar sedentário. O sedentarismo contribui e muito para que a gordura no sangue pipoque.

Os estudos apontam que pessoas que foram submetidas a programas de treinamento físico apresentaram melhoria no perfil lipídico. Isso é importante, pois o colesterol é um importante biomarcador de risco cardiovascular”, explica o doutor em Saúde Pública, coordenador e professor de pós-graduação em Educação Física da Faculdade IDE, Raphael Ritti.

Leia também
Obesidade só aumenta
Insulina inalável pode ajudar tratamento do diabetes


Por que isso acontece? O professor explica que o exercício faz com que o músculo aumente sua habilidade de utilizar a gordura, reduzindo a sua quantidade na circulação, além de promover o aumento de uma série de enzimas, que resultam no aumento do colesterol bom (HDL - High Density Lipoproteins).

As atividades mais indicadas são as aeróbicas, como corrida, pedalada, natação e dança, em intensidade moderada-alta e musculação de intensidade moderada.

Veja também

Pedro Godoy, do Arvo Restaurante, representará Pernambuco no Festival Fartura Gastronomia Du Brasil
Festival Gastronômico

Pedro Godoy, do Arvo Restaurante, representará Pernambuco no Festival Fartura Gastronomia Du Brasil

Nova unidade do Seu Tito chega à Zona Sul do Recife
Novo Point

Nova unidade do Seu Tito chega à Zona Sul do Recife