Gastronomia

Saiba como fazer uma boa alimentação sem estourar o orçamento

Veja dicas de como aproveitar bem os ingredientes em casa e como escolher o cardápio mais econômico no restaurante

Uso completo do ingrediente evita o desperdício na cozinhaUso completo do ingrediente evita o desperdício na cozinha - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Com as dívidas de janeiro batendo na porta é normal que muitas pessoas limitem o orçamento do mês aos débitos mais urgentes. Nesse filtro da economia, as famílias vão direcionando a verba para o que consideram essencial dentro de casa. Uma seleção que, muitas vezes, suspende o hábito de comer em um restaurante, diminui o número de pedidos de delivery ou mesmo restringe os itens especiais na compra de mercado.


No entanto, quem trabalha com gastronomia garante que é possível fazer ajustes na rotina que não comprometem a qualidade da alimentação. Um comportamento que, aliás, é indispensável nessa época de alta dos preços. A carne vermelha que o diga. A proteína bovina chegou a acumular alta de 22% no último ano. Dessa forma, de acordo com dados da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), a procura por carnes dianteiras, consideradas de segunda, superou a demanda por partes mais nobres do boi, em vários açougues e hipermercados do País. Uma alternativa que não é a única.


Saiba utilizar o ingrediente

Para quem vai mudar o hábito alimentar dentro de casa, a chef Sofia Mota sugere uma mudança inicial de pensamento, como o de aprender a valorizar todas partes de um ingrediente. 


“Há quem compre o alho-poró e joga fora a parte verde, usando só o bulbo branco, enquanto ele é saudável da raiz à ponta. Sendo assim, por que não utilizá-lo num refogado de arroz, num caldo, creme ou sopa? Tem infinidade de uso. O jerimum a gente consegue cozinhar com casca e tudo, batendo no liquidificador e fazendo um purê. A semente você consegue torrar e misturar com granola, para ser o croûton de uma salada. O tomate tem gente que joga fora a semente. Não se tem mais essa ilusão de que essa semente faz mal, pode aproveitar. Já a raiz de coentro pode ser bem lavada e usada para dar sabor a uma sopa. E se quiser fritar, vira um crocante de raiz de coentro”, resume.


Outra dica tem a ver com a compra da proteína. “Como a gente não come osso, melhor optar pelo filé de peito, porque não vai desperdiçar o couro e a cartilagem. As partes com osso são mais saborosas, mas têm custo. Nas frutas, não jogue a casca da banana fora, use para fazer uma caponata como se faz com a berinjela, por exemplo”, sugere.


Fique atento às sobras

É comum a geladeira ficar cheia de potinhos da comida do dia anterior, especialmente de arroz e feijão. “Precisamos pensar na reutilização do que já está pronto na geladeira. O feijão cozido vira sopa, o arroz vira um bolinho ou mesmo um arroz de forno. Otimizar o que tem no armário e na geladeira e transformar em algo novo, mesmo feito há dias”, acrescenta. 


Outros detalhes simples ajudam a manter uma rotina mais econômica, como planejar bem a feira da semana ou do mês, colocando cada item no papel. Ir ao supermercado sem a presença dos filhos pequenos. Optar por frutas e verduras da estação, porque elas tendem a ser mais baratas e nutritivas quando estão dentro do período de safra.


Segundo o chef Leandro Ricardo, é bom dar uma vista completa no que está dentro da despensa. Há quem esqueça itens vencidos ou compre novos ingredientes, sem perceber que o material já está dentro de casa. “O tempero que ainda estiver bom, por exemplo, pode servir para temperar aquele franguinho da semana. Se for de um dia para o outro, vale marinar essa carne e botar na geladeira”, orienta. Outra dica do chef é utilizar uma única panela para a mesma receita. “Às vezes, não precisa lavar por completo. Por exemplo, você assa um camarão, aí transfere para um prato reservado e, ao invés de lavar com sabão, passa só um papel toalha, porque se for continuar, o acessório continua quente e não gasta mais água, sabão e gás”, conclui.


Alimentação fora de casa

Para quem não quer sacrificar a visita àquele bar ou restaurante preferido, diversos estabelecimentos no Recife e Região metropolitana oferecem atrativos que vão além do cardápio normal. O chamado menu executivo oferece preços convidativos para o prato de almoço ou jantar. Outra sugestão é acompanhar o horário de happy hour dos estabelecimentos, entre o meio da tarde e começo da noite, esses endereços oferecem descontos para comida e bebida.

Veja também

Gastrite: o que evitar e o que consumir no dia a dia?
Saúde

Gastrite: o que evitar e o que consumir no dia a dia?

Estabelecimentos de comida apostam em cenários instagramáveis
Tendêcias

Bares e restaurantes apostam em cenários instagramáveis