Tempo de voltar a escrever

Na impossibilidade de falar com ele, fica a vontade de falar dele

É tempo de agradecer a todos que, neste luto por meu Pai, nos confortaramÉ tempo de agradecer a todos que, neste luto por meu Pai, nos confortaram - Foto: Da editoria de Arte

Ensina o Eclesiastes (3, 1-8) que “Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céus. Tempo para nascer e tempo para morrer; tempo para plantar e tempo para arrancar o que foi plantado; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de gemer e tempo de bailar; tempo de calar e tempo de falar...” É tempo, agora, de voltar a escrever.

E de agradecer a todos, e a cada um que, neste período de luto por meu Pai, tanto nos confortaram. Por e-mails, cartas, depoimentos, telegramas, artigos de jornal.
Na impossibilidade de falar com ele, fica a vontade de falar dele. Semana passada, no consultório de dr. Oscar Coutinho, encontrei, em meio a outros livros, Foi Assim - a biografia de meu Pai, escrita pelo jornalista Mario Hélio.

 Na dedicatória que lhe fez, escreveu (em Junho de 2010): “Foi assim. Valeu a pena”. Revelando seu imenso prazer de viver. E sua enorme capacidade de aceitar momentos difíceis. Sempre otimista. Sem mágoas. Sem rancores. E com muito bom humor. Nesse livro ele conta histórias. “De algumas participei diretamente, outras apenas acompanhei. Gosto de falar delas. Por esta razão, meus filhos me incentivaram a colocar em livro um pouco de tudo isso”, disse meu pai na apresentação do livro.

“Ele viveu e viu golpes. Desde a infância. Do Estado Novo. Da guerra. Contra Getúlio. Contra Juscelino. Contra Jango. Ele se opôs aos golpes. Resistiu. Venceu. Esse homem do campo semeou estradas. Esse homem do campo, quis partilhar o campo, num generoso projeto de reforma agrária. Que dizer então de um usineiro a favor da reforma agrária? De um banqueiro que é contra os juros altos e que sempre adorou dividir os lucros com os empregados? Que tantas vezes recusa os meios e os fins fáceis demais para não fugir dos seus princípios”, assim o definiu Mario Hélio.

Agora ficou uma imensa saudade e o seu exemplo. Os desígnios de Deus estão marcados em sábias palavras do Eclesiastes (1, 4-9): “Uma geração vai, uma geração vem, e a terra sempre permanece. O sol se levanta, o sol se deita, apressando-se a voltar ao seu lugar e é lá que ele se levanta.

O vento sopra em direção ao sul, gira pra o norte, e girando e girando vai o vento em suas voltas. Todos os rios correm para o mar e, contudo, o mar nunca se enche: embora chegando ao fim do seu percurso, os rios continuam a correr... O que foi será, o que se fez, se tornará a fazer: nada há de novo debaixo do sol”.

 *É especialista em Gastronomia e escreve semanalmente neste espaço. 

Veja também

Boa alimentação ajuda a combater a anemia
Saúde

Boa alimentação ajuda a combater a anemia

Dia do Macarrão: conheça as receitas que vão além dos clássicos italianos
Gastronomia

Dia do Macarrão: conheça as receitas que vão além dos clássicos italianos