Tempo de voltar a escrever

Na impossibilidade de falar com ele, fica a vontade de falar dele

É tempo de agradecer a todos que, neste luto por meu Pai, nos confortaramÉ tempo de agradecer a todos que, neste luto por meu Pai, nos confortaram - Foto: Da editoria de Arte

Ensina o Eclesiastes (3, 1-8) que “Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céus. Tempo para nascer e tempo para morrer; tempo para plantar e tempo para arrancar o que foi plantado; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de gemer e tempo de bailar; tempo de calar e tempo de falar...” É tempo, agora, de voltar a escrever.

E de agradecer a todos, e a cada um que, neste período de luto por meu Pai, tanto nos confortaram. Por e-mails, cartas, depoimentos, telegramas, artigos de jornal.
Na impossibilidade de falar com ele, fica a vontade de falar dele. Semana passada, no consultório de dr. Oscar Coutinho, encontrei, em meio a outros livros, Foi Assim - a biografia de meu Pai, escrita pelo jornalista Mario Hélio.

 Na dedicatória que lhe fez, escreveu (em Junho de 2010): “Foi assim. Valeu a pena”. Revelando seu imenso prazer de viver. E sua enorme capacidade de aceitar momentos difíceis. Sempre otimista. Sem mágoas. Sem rancores. E com muito bom humor. Nesse livro ele conta histórias. “De algumas participei diretamente, outras apenas acompanhei. Gosto de falar delas. Por esta razão, meus filhos me incentivaram a colocar em livro um pouco de tudo isso”, disse meu pai na apresentação do livro.

“Ele viveu e viu golpes. Desde a infância. Do Estado Novo. Da guerra. Contra Getúlio. Contra Juscelino. Contra Jango. Ele se opôs aos golpes. Resistiu. Venceu. Esse homem do campo semeou estradas. Esse homem do campo, quis partilhar o campo, num generoso projeto de reforma agrária. Que dizer então de um usineiro a favor da reforma agrária? De um banqueiro que é contra os juros altos e que sempre adorou dividir os lucros com os empregados? Que tantas vezes recusa os meios e os fins fáceis demais para não fugir dos seus princípios”, assim o definiu Mario Hélio.

Agora ficou uma imensa saudade e o seu exemplo. Os desígnios de Deus estão marcados em sábias palavras do Eclesiastes (1, 4-9): “Uma geração vai, uma geração vem, e a terra sempre permanece. O sol se levanta, o sol se deita, apressando-se a voltar ao seu lugar e é lá que ele se levanta.

O vento sopra em direção ao sul, gira pra o norte, e girando e girando vai o vento em suas voltas. Todos os rios correm para o mar e, contudo, o mar nunca se enche: embora chegando ao fim do seu percurso, os rios continuam a correr... O que foi será, o que se fez, se tornará a fazer: nada há de novo debaixo do sol”.

 *É especialista em Gastronomia e escreve semanalmente neste espaço. 

Veja também

Bob's realiza Festival de Verão com milk-shakes e sorvetes especiaisGeladíssimo

Bob's realiza Festival de Verão com milk-shakes e sorvetes especiais

Uísque especial 'La Casa de Papel' chega ao Brasil às vésperas da estreia da última temporadaEspecial

Uísque especial 'La Casa de Papel' chega ao Brasil às vésperas da estreia da última temporada