A-A+

Gastronomia

Veja dicas de como gastar menos dinheiro nos preparos na cozinha

Chefs sugerem planejamento e substituições mais econômicas para os pratos do dia a dia

Chef Bruno Lins sugere preparos econômicos para o dia a diaChef Bruno Lins sugere preparos econômicos para o dia a dia - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

São tempos difíceis para o orçamento familiar, que nota impacto nos valores da alimentação básica. Isso diz respeito ao preço da carne bovina, do arroz, do feijão e do leite, que alavancaram os custos da cesta básica. Em geral, segundo o  Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a alta dos preços de alimentos e bebidas acelerou de 0,60% em julho para 1,39% em agosto.

Para se ter uma ideia, pesquisa da Faculdade Getúlio Vargas (FGV) apontou que no mês de julho o arroz aumentou 37% se comparado ao mesmo período no ano passado. Já a carne vermelha está 32% mais cara, enquanto o feijão subiu 18% no mesmo comparativo de tempo.



É tempo de planejamento

Enquanto economistas correm para explicar a mudança de preços, resta aos brasileiros adaptar a rotina para uma realidade mais apertada. Nesse malabarismo financeiro, a primeira orientação diz respeito ao planejamento.    

É o que explica o professor de Gastronomia e chef do restaurante Mangaio Cozinhando Para Amigos, Felipe Costa. “A importância da pesquisa é justamente a qualidade no preço que a pessoa vai obter, porque se ela não entra nos supermercados, pode se ter um gasto excessivo por falta de pesquisa. E até mesmo ela pode comprar em dois supermercados para economizar”, sugere. Ainda de acordo com Costa, na hora de fazer as compras, deve-se levar em conta itens primordiais, para depois conferir, dentro da realidade financeira, se adiciona mais itens ou guarda o dinheiro. 

Prefira sempre alimentos na safra

O chef destaca que alguns alimentos fora da safra podem influenciar no valor total das compras e que eles podem ser substituídos por outros produtos que possuem vitaminas similares ou iguais. “O arroz está em alta, então há um consumo maior de macarrão. Não podemos deixar de comer feijão, então vamos em cima do feijão que tem o menor preço para fazer a substituição. Pode ser substituído por ervilha, lentilha e grão-de-bico. A soja, que é fonte de proteína, também pode substituir tanto o feijão, quanto a carne’’, diz.

Frango e vegetais formam prato econômico e nutritivoFrango e vegetais formam um prato econômico e nutritivo (Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco)

Substituições mais econômicas

A proteína é, de fato, o grande calo do momento. O frango também sofreu reajuste de 22,73% no mês de julho, em comparação ao mesmo período em 2020, no levantamento da FGV. Ainda assim, dá para fazer um prato mais assertivo, sem descartar o nutriente mais cobiçado à mesa.

“Você compra um frango inteiro, que pode variar entre R$ 35 e R$ 37,  lembrando que ele pode servir para diversos preparos, como guisado, assado, sopas e caldos. E, para isso, uma dica importante é conhecer bem o seu bairro, porque perto de casa pode existir uma granja com itens de qualidade e mais acessíveis”, aponta o  chef Bruno Lins, com a expertise de quem personaliza cardápios para a rotina dos seus clientes. 

O prato ideal combina nutrientes importantes para o corpo. “O ovo é muito rico e você pode variar o preparo ao longo da semana, fazendo omelete ou cozido. Já o quiabo é fonte de vitamina, sais minerais e proteína vegetal”, defende o chef. Para ele, a compra de vegetais pode ser feita nas feiras públicas ou orgânicas, onde há o contato direto com o produtor. 

Evite o desperdício

A pesquisa sobre o Índice de Desperdício de Alimentos em 2021 aponta que o desperdício doméstico é de 61% dos alimentos. “O arroz e o feijão podem ser reaproveitados e virar um bolinho frito. Casca de cebola, tomate,cenoura, de jerimum, tudo isso pode virar um caldo de legume, e junto com pele, cabeça de peixe e ossos. Com as cascas podemos fazer caldo de legume, caldo de carne, de frango”, destaca Felipe 

Já a culinarista Paula Trindade sugere aproveitar o pão para fazer torradas ou farinha de pão. “Está com muitas sobras na geladeira ? Pique tudo, tempere novamente e misture com ovos batidos até transformar em uma torta de forno”, ensina. 

Veja também

Banana é superalimento para a saúde do corpo
Saúde

Banana é superalimento para a saúde do corpo

Culturas orientais sugerem o equilíbrio do corpo através da alimentação consciente
Gastronomia

Culturas orientais sugerem o equilíbrio do corpo através da alimentação consciente