Notícias

Arrastão do Frevo encerra Carnaval do Recife

Os foliões mais animados emendaram a última noite de shows, na terça-feira (13), com a tradicional despedida da folia

Arrastão do FrevoArrastão do Frevo - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

A Quarta-feira de Cinzas não foi tão ingrata para quem acompanhou o encerramento do Carnaval do Recife. Os foliões mais animados emendaram a última noite de shows, na terça-feira (13), com o Arrastão do Frevo, que agitou uma multidão nesta quarta-feira (14).

As primas Renata e Isabele Cavalcanti brincaram durante os quatro dias e ainda tiveram fôlego para seguir o desfile pelas ruas do Bairro do Recife. “A gente aguenta até o fim. Vale tudo pelo Carnaval de Pernambuco”, diz Isabela. A maquiadora Kelly Vilar também prestigiou o encerramento e fez questão de levar o filho, Herbert, de 10 anos. “Eu trago ele comigo para o Carnaval do Marco Zero desde pequeno. Temos alegria e frevo no pé”, afirma.

Leia também:
Marco Zero dá o tom do adeus ao Carnaval
Bacalhau do Batata, receita de sucesso ainda mais colorida
[Fotos] Encerramento do Carnaval do Recife 2018
Alerta de chuvas fortes na RMR para a quarta-feira de Cinzas


Na programação da noite, apenas artistas nordestinos se apresentaram na praça do Marco Zero. Maestro Forró e Almir Rouche foram os primeiros. Passava da meia-noite quando Alceu Valença subiu ao palco. Apesar da chuva que caía, o público não desanimou ao som de “Bicho Maluco Beleza”, primeira música cantada pelo artista. A animação se repetiu ao longo de todo o show, que fez um apanhado dos maiores sucessos de Alceu.

Já Elba Ramalho iniciou sua apresentação de forma diferente. A cantora surgiu cantando em cima de uma cerveja gigante montada ao lado do palco principal da festa. No repertório, não faltou frevo e axé, além de releituras de sucessos da música brasileira, de Nação Zumbi a Lulu Santos, passando por Tim Maia. Para finalizar, a paraibana dividiu os microfones com Nena Queiroga, homenageada do Carnaval do Recife, cantando o frevo “Chuva de Sombrinhas”. Fechando a primeira programação, o Maestro Spok mais a uma vez conseguiu colocar mais de 200 instrumentistas para tocarem juntos. O “orquestrão” embalou o nascer do sol dos foliões que não arredaram o pé do Bairro do Recife. Diversos artistas pernambucanos se alternaram nos vocais. Entre eles, Romero Ferro, Tibério Azul, Karina Spinelli, Airton Montarroyos e Fulô de Mandacaru. Por volta das 6h, a orquestra desceu do palco, levando o público remanescente em um desfile com gosto de “quero mais”.

 

Veja também

Cortar o contato com a família é uma boa terapia?
saúde

Cortar o contato com a família é uma boa terapia?

'Paz ou guerra', dispara Maduro antes das presidenciais na Venezuela
venezuela

'Paz ou guerra', dispara Maduro antes das presidenciais na Venezuela

Newsletter