Arrastão do Frevo encerra Carnaval do Recife

Os foliões mais animados emendaram a última noite de shows, na terça-feira (13), com a tradicional despedida da folia

Arrastão do FrevoArrastão do Frevo - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

A Quarta-feira de Cinzas não foi tão ingrata para quem acompanhou o encerramento do Carnaval do Recife. Os foliões mais animados emendaram a última noite de shows, na terça-feira (13), com o Arrastão do Frevo, que agitou uma multidão nesta quarta-feira (14).

As primas Renata e Isabele Cavalcanti brincaram durante os quatro dias e ainda tiveram fôlego para seguir o desfile pelas ruas do Bairro do Recife. “A gente aguenta até o fim. Vale tudo pelo Carnaval de Pernambuco”, diz Isabela. A maquiadora Kelly Vilar também prestigiou o encerramento e fez questão de levar o filho, Herbert, de 10 anos. “Eu trago ele comigo para o Carnaval do Marco Zero desde pequeno. Temos alegria e frevo no pé”, afirma.

Leia também:
Marco Zero dá o tom do adeus ao Carnaval
Bacalhau do Batata, receita de sucesso ainda mais colorida
[Fotos] Encerramento do Carnaval do Recife 2018
Alerta de chuvas fortes na RMR para a quarta-feira de Cinzas


Na programação da noite, apenas artistas nordestinos se apresentaram na praça do Marco Zero. Maestro Forró e Almir Rouche foram os primeiros. Passava da meia-noite quando Alceu Valença subiu ao palco. Apesar da chuva que caía, o público não desanimou ao som de “Bicho Maluco Beleza”, primeira música cantada pelo artista. A animação se repetiu ao longo de todo o show, que fez um apanhado dos maiores sucessos de Alceu.

Já Elba Ramalho iniciou sua apresentação de forma diferente. A cantora surgiu cantando em cima de uma cerveja gigante montada ao lado do palco principal da festa. No repertório, não faltou frevo e axé, além de releituras de sucessos da música brasileira, de Nação Zumbi a Lulu Santos, passando por Tim Maia. Para finalizar, a paraibana dividiu os microfones com Nena Queiroga, homenageada do Carnaval do Recife, cantando o frevo “Chuva de Sombrinhas”. Fechando a primeira programação, o Maestro Spok mais a uma vez conseguiu colocar mais de 200 instrumentistas para tocarem juntos. O “orquestrão” embalou o nascer do sol dos foliões que não arredaram o pé do Bairro do Recife. Diversos artistas pernambucanos se alternaram nos vocais. Entre eles, Romero Ferro, Tibério Azul, Karina Spinelli, Airton Montarroyos e Fulô de Mandacaru. Por volta das 6h, a orquestra desceu do palco, levando o público remanescente em um desfile com gosto de “quero mais”.

 

Veja também

Rio não terá desfile de blocos de rua no carnaval de 2021
carnaval

Rio não terá desfile de blocos de rua no carnaval de 2021

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França, informa Itamaraty
internacional

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França