Delegado afastado é alvo de novas denúncias

Reproduções de postagens da conta do policial no Facebook contêm textos agressivos atribuídos ao delegado

Facebook do delegadoFacebook do delegado - Foto: Reprodução/Facebook

Novas denúncias contra o delegado Jorge Ferreira foram feitas através de prints (reproduções) da conta do policial no Facebook. Ferreira - que foi afastado do plantão da Delegacia da Mulher no último domingo (18), após acusações de que teria injuriado a vereadora Marielle Franco (PSol-RJ), executada no último dia 14 de março no Rio de Janeiro - seria o autor de outras postagens interpretadas como inadequadas.

Há publicações em que ele chama a ex-deputada Luciana Genro e a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, de "vagaba" e "vagaba mor". Também foi alvo de polêmica uma postagem em que ele comenda o vídeo de uma feminista e a chama de "vagabunda sem noção" e onde diz que estão "doidos para levarem tiro" sobre ato de manifestantes do PSOL pelo fim da Polícia Militar.

Movimentos sociais ligados à defesa das mulheres disseram que denunciarão o delegado Jorge Ferreira através das ouvidorias da Secretaria de Mulher do Estado e da Secretaria de Defesa Social (SDS), tanto das injúrias contra Marielle quanto os outros posts ou compartilhamentos no perfil do delegado, interpretados como inadequados por "incitarem sexismo e intolerância política". Segundo a Secretaria da Mulher, até o momento, nenhuma denúncia chegou à ouvidoria.

Facebook do delegado





O delegado negou à reportagem da Folha de Pernambuco que seus posicionamentos firam os Direitos Humanos. “O que sempre defendi é a Justiça para todos”, frisou. Ele ainda aguarda a publicação da portaria que o coloca à disposição do setor de Recursos Humanos da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE).

Entenda o caso
O texto também atribuído ao delegado, que culminou em seu afastamento, dizia, sobre Marielle: "Se envolve com o narcotráfico, vira mulher de bandido, troca de facção criminosa, é assassinada pelos 'mano', aí vem a esquerda patética por a culpa nas instituições policiais. Vá se fu, dona Marielle. Já foi tarde. Detesto bandido e quem os defende odeio mais ainda". Ferreira prestou uma queixa à Delegacia de Crimes Cibernéticos sobre a postagem. [Veja os prints ao fim do texto]

Em sua defesa, Jorge Ferreira repetiu à reportagem os mesmos argumentos que usou em um vídeo feito no Facebook no último domingo, afirmando que não fez tal declaração contra a vereadora, que sua conta foi invadida e que jamais se posicionaria dessa forma. "Eu sou a favor da Lei, da ordem. O que eu venho compartilhando é para fomentar discussão. Logo que aconteceu esse homicídio (a execução de Marielle), se começou a acusar a Polícia Militar e eu disse que seria interessante ver todas as possibilidades antes de acusar determinado segmento. Ainda mais porque eu faço parte", disse em transmissão ao vivo em sua página. 




Fórum de mulheres

“Nós, do Fórum de Mulheres de Pernambuco, repudiamos as declarações do delegado pois elas trazem mentiras a respeito de Marielle, mulher preta, lésbica, da favela que representava a todos. A gente faz a leitura de que ela foi morta justamente por problematizar a atuação policial em relação à população negra e periférica e por se posicionar frente a importantes questões sociais. Esse delgado vem reforçar a ideia de uma polícia despreparada que desrespeita os direitos humanos e ainda mais um delegado que atua na Delegacia da Mulher, que requer um atendimento bastante específico e de profissionais preparados e capazes de garantir os direitos das mulheres”, afirmou Natália Cordeiro, coordenadora do Fórum.

Por telefone, a assessoria de comunicação da PCPE afirmou que até a polêmica em torno do suposto post sobre Marielle, o delegado Jorge Ferreira nunca havia sofrido qualquer denúncia sobre seu tratamento com a população ou durante o exercício de suas funções. Reforçou que o conteúdo da postagem que atacava a vereadora foi encaminhado à Corregedoria Geral da SDS, como noticiamos no último domingo, que agirá na esfera administrativa. Apesar do foco atual ser a conduta do policial mediante a morte de Marielle, a PCPE informou que poderá haver uma ampliação da avaliação de conduta do profissional nas redes sociais.

Invasão ao Facebook
Um especialista da área de Tecnologia, que preferiu não se identificar, disse que foram feitas correções no sistema do Facebook que dificultam o hackeamento de contas. "Antes, se se colocasse o e-mail do usuário e uma senha qualquer, o site direcionava para responder a algumas perguntas simples, então era até fácil mudar essa senha. Hoje em dia, na mesma tentativa, o site vai fazer verificações como quem são os amigos do usuário da conta, checa uma lista de pessoas de confiança, uma lista da familiares. Enfim, são requisitos que dificultam a tentativa de hackear por uma rede externa (a internet comum)", diz a fonte.

No entanto, há ferramentas que podem verificar o que o usuário está fazendo e, inclusive, capturar logins e senhas. "Há casos que se envia um arquivo por e-mail e quando o baixa no computador, um espião é instalado e começa a 'roubar' informações. Há ainda a possibilidade de o delegado ter deixado a conta aberta em alguma máquina". Sobre verificações dessa natureza pela Justiça, o especialista diz que é um processo demorado, mas um rastreio fácil de fazer, já que todas as movimentações ficam registradas no provedor de serviço.

Facebook do delegado

Facebook do delegado - Crédito: Reprodução/Facebook


Facebook do delegado

Facebook do delegado - Crédito: Reprodução/Facebook

Facebook do delegado

Facebook do delegado - Crédito: Reprodução/Facebook



 

Print da rede social do delegado Jorge Ferreira

Print da rede social do delegado Jorge Ferreira - Crédito: reprodução

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social - Crédito: reprodução

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social - Crédito: reprodução

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social - Crédito: reprodução

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social - Crédito: reprodução

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social - Crédito: reprodução

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social - Crédito: reprodução

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social

Print de perfil do delegado Jorge Ferreira em rede social - Crédito: reprodução

Veja também

Vantagem de Biden sobre Trump cai 2 pontos percentuais em uma semana
EUA

Vantagem de Biden sobre Trump cai 2 pontos percentuais em uma semana

Presidente parece torcer contra a vacina de Covid-19, diz Doria
Coronavírus

Presidente parece torcer contra a vacina de Covid-19, diz Doria