Mulher é assassinada pelo companheiro em Olinda

Nos dias 13 e 16 de janeiro, casos semelhantes ocorreram em Vitória de Santo Antônio e outro em Itamaracá

Sede do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP)Sede do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Um homem matou a mulher e cometeu suicídio em seguida, na noite desta segunda (22), na residência do casal, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife. Segundo a Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), uma equipe da Força Tarefa Norte foi ao local do crime e já encontrou o casal sem vida. Há suspeitas de que o homem era ex-soldado, mas nem a Polícia Civil, nem a Militar nem o Exército confirmaram a informação até a publicação deste texto.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, foi instaurado inquérito e iniciadas as investigações pela delegacia da região. A Policia Militar de Pernambuco (PMPE) identificou com casal como Ediniz da Silva Izídio, de 30 anos, e Débora Marcelino Izídio, de 25 anos. O crime teria ocorrido às 22h53, na rua Agave, no bairro de Jardim Fragoso. 

Leia também:
PM mata esposa e comete suicídio em Itamaracá  
Policial mata esposa e tira própria vida em Vitória de Santo Antão

Outros casos
Neste mês de janeiro é o terceiro caso de homicídio de mulher seguido de suicídio do companheiro delas. No dia 13 de janeiro, o policial militar José Ailton Francisco da Silva, 35 anos, teria disparado um tiro contra a cabeça da esposa, Dayanne Joyce Silva Serafim, de 25 anos. Em seguida tirou a própria vida. O crime ocorreu em Vitória de Santo Antão, Zona da Mata Norte do Estado.

Três dias depois, dia 16, outro policial militar Josenildo, do 17º BPM, matou a esposa e se suicidou em seguida, na Ilha de Itamaracá, na Região Metropolitana do Recife.

Veja também

Trump é escoltado de conferência de imprensa na Casa Branca por segurança
eua

Trump é escoltado de conferência de imprensa na Casa Branca por segurança

Brasil quer reativar organização para recuperar protagonismo internacional na Amazônia
brasil

Brasil quer reativar organização para recuperar protagonismo internacional na Amazônia