OPINIÃO

As proezas de Trump da Silva e o Chapeuzinho Vermelho

MONTANHAS DA JAQUEIRA - A defesa e os zagueiros de Trump da Silva vão recorrer ao Tribunal de Haia, na Holanda, contra a sentença do Tribunal do Panamá que condenou o ex-presidente à prisão perpétua, por ter passado um cheque sem fundo de 130 mil cruzeiros novos para transar com o Chapeuzinho Vermelho num triplex de Guarujá no International McDonald em Neverland, a Terra do Nunca.
                                                         
Os zagueiros argumentaram que o julgamento de Trump da Silva deveria ter ocorrido em Neverland, onde ocorreu o suposto delito sexual, e jamais na Corte do Paraná, digo, do Panamá, no Caribe, pois os juízes e promotores de lá agem mancomunados para manchar a reputação de Trump da Silva, a alma mais honesta que já habitou na terra dos caubóis.
                                                      
Ao contestar a exibição de um power point feita pelos promotores do Panamá, Trump da Silva jurou que se um dia escapar da prisão perpétua irá fuzilar seus algozes, fuck to fuck, assim feito as cavalarias do faroeste fuzilavam os índios peles vermelhas. 
                                                         
Stormy, aliás, Chapeuzinho Vermelho era uma donzela virtuosa que ganhava a vida com o suor de suas mucosas em Hollywood ao participar de filmes tipo a Vovozinha e o Lobo Mau. Ela fazia o papel do Chapeuzinho Vermelho, tão inocente! 

No Dia dos Namorados, Chapeuzinho Vermelho saiu para dar um rolé na floresta amazônica da Jaqueira. Assim ela cantava, feliz da vida: “Pela estrada afora/ eu vou bem sozinha/ levar estas pamonhas / para a vovozinha/ ela mora longe e o caminho é deserto/ e o Lobo Mau passeia aqui por perto”. 

Subitamente, não mais que subitamente, o Lobo Mau aflorou no recinto, vestindo camisa vermelha e boné do MST. Fazia frio e havia previsão de chuvas na Jaqueira, em Campina Grande e na Big Apple, segundo a Agência Apac. Lobão afinou a viola e cantou uma música de Roberto Carlos para Chapeuzinho Vermelho: “Quero que você me aqueça neste inverno/ e que tudo mais vá pro inverno. Ôu-Ôu-Ôu”. 

A donzela ficou emocionada. Lobão piscou o olho e a convidou para embarcar no seu Cadillac rabo de peixe e conhecer o triplex dele no  Trump International Tower em Las Vegas. A cena do crime aconteceu naquele triplex em Las Vegas. 

Ele prometeu 1 milhão de dólares, aliança de noivado e de casamento. Mas, o miserável já era casado. Lobão Trump da Silva aplicou-lhe um xexo: ofereceu à pobrezinha apenas a mixaria de 130 mil cruzeiros novos e um vestido de chita comprado no Shopping Center Recife. Pediu que ela não contasse nada para ninguém, pois era um rapaz de moral ilibada e pretendia ser candidato a presidente de Pindorama. Seduzida e abandonada, a coitada caiu nos prantos.
                                                       
O Lobão Trump da Silva foi condenado pelo conjunto da obra à prisão perpétua no presídio de segurança máxima de Mossoró-RN, sem direito a saidinhas nem visitas íntimas das periguetes de Madonna. E never anistia.

*Periodista, escritor e quase poeta 

 

Veja também

Umbuzeiro
OPINIÃO

Umbuzeiro

Tecnologia e relacionamento
OPINIÃO

Tecnologia e relacionamento

Newsletter