PTB desiste de Cristiane e debate novo indicado

Os deputados têm reivindicado que um parlamentar da bancada da legenda assuma a pasta e tem defendido Jorge Corte Leal (PE)

Deputado federal Jorge Côrte Real (PTB-PE)Deputado federal Jorge Côrte Real (PTB-PE) - Foto: Francisco Lima / Divulgação

Com a desistência da deputada Cristiane Brasil (RJ), o PTB iniciou uma disputa interna pela indicação de um nome para comandar o Ministério do Trabalho. O presidente da sigla e pai da parlamentar, Roberto Jefferson, informou ao Palácio do Planalto que pretende indicar o atual secretário-executivo da pasta, Helton Yomura, mas a bancada federal é contra e ameaça se rebelar caso ele assuma o cargo.

Em dezembro, após a saída de Ronaldo Nogueira do comando da pasta, Jefferson tentou emplacar Yomura no posto, mas o líder do partido na Câmara, Jovair Arantes, foi contra, e a indicação empacou. Os deputados têm reivindicado que um parlamentar da bancada da legenda assuma a pasta e tem defendido Jorge Corte Leal (PE), que presidiu a Federação das Indústrias de Pernambuco, representante de sindicatos patronais.

Leia também:
Jorge Côrte Real ouve pleitos dos municípios
Sem Cristiane Brasil, Ministério do Trabalho fica com Helton Yomura


Na quarta (21), o comando do PTB deve se reunir em Brasília para fechar um nome. A ideia é que, após a escolha, Jefferson leve o indicado ao presidente para que ele chancele a nomeação. Inicialmente, a bancada cogitou os deputados Alex Canziani (PR) e Sérgio Moraes (RS). O primeiro anunciou que será candidato à reeleição. O segundo enfrenta resistência do presidente.

Em 2009, Moraes causou polêmica ao dizer que estava "se lixando para a opinião pública" ao defender o ex-deputado Edmar Moreira, conhecido por ter sido dono de um castelo no interior de Minas. Ele era o relator no Conselho de Ética de acusação contra o mineiro por suposta apresentação de notas falsas ao justificar o uso de verba indenizatória. Após a declaração, deixou a função.

A informação de que o PTB indicaria outro nome para o Trabalho foi antecipada pela Folha de S.Paulo. À reportagem Jefferson disse sua filha seguirá como deputada. "A ministra Cármen Lúcia [STF] não votará antes do segundo semestre. Vamos andar, caminhar para frente."

Temer trava há quase dois meses uma guerra jurídica com o Judiciário pela nomeação de Cristiane. Ela foi impedida de assumir por condenações na área trabalhista. Em nota, Cristiane afirmou que a suspensão de sua posse foi "inconstitucional" e que ela foi vítima de machismo.

Temer também se dedicou na terça (20) à escolha da chefia do novo Ministério da Segurança Pública. São cotados o secretário da área em SP, Mágino Barbosa Filho, e o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen.

Veja também

Tribunal do PR arquiva investigação contra juíza que citou raça em sentença
JUSTIÇA

Tribunal do PR arquiva investigação contra juíza que citou raça em sentença

Danilo Cabral critica retirada de recursos do Fundeb para o Renda Cidadã
Eleições 2020

Danilo Cabral critica retirada de recursos do Fundeb para o Renda Cidadã