Mulher acolhe animais de pessoas que morreram e precisa de ajuda para continuar alimentando pets

A irmã e duas vizinhas de Maria Cristina morreram, mas ela não abandonou os animais

Mulher acolhe animais de pessoas que morreram, mas precisa de ajuda para manter abrigo - Cortesia

Já se perguntou o que acontece com um animal quando seu tutor morre? Nem sempre familiares ou amigos atentam para esses pequenos seres que eram de responsabilidade da pessoa querida que se foi.

Não é o caso de Maria Cristina do Nascimento, que acolhe em sua casa, em Nova Descoberta, na Zona Norte do Recife, animais de pessoas amadas que faleceram nos últimos meses. A benfeitora conta com mais de 50 animais, entre cães e gatos, em sua residência. Apesar do maior desejo em ajudar, ela não possui mais condições financeiras de arcar com o custo de todos os pets. 

Cristina, que recebe apenas a renda do bolsa família, cuida dos animais de pessoas amadas que morreram
Cristina, que recebe apenas a renda do Bolsa Família, cuida dos animais de pessoas amadas que morreram

O não abandono
Os primeiros acolhimentos feitos por Cristina foram de animais de duas vizinhas, Fabiana e Maria. 

Há menos de dois meses, a irmã de Cristina, que era aposentada e tutorava a maior quantidade de animais, morreu.

Apesar de acolher os pets da irmã e de outras duas vizinhas, a benfeitora tem como única renda o Bolsa Família e não consegue sustentar os animais com o pouco que ganha. 

"Eu hoje preciso principalmente de ração para esses animais", relatou. 

Ajuda
A ajuda com apadrinhamento (ato de custear a ração e cuidados com a saúde de um animal afilhado) e Pix também são aceitos pela tutora. Nem todos os animais cuidados por Cristina são castrados, o que aumenta a possibilidade de aumentar a quantidade de pets sob seu cuidado. 

Abrigo de animais precisa de ajuda para continuar funcionandoOs animais também precisam de cuidados de saúde, como castração

"Todo tipo de ajuda eu preciso para continuar a cuidar melhor deles. Poderiam ser alguns padrinhos para apadrinhar cada animal, com um valor pelo menos uma vez no mês. Isso faria toda a diferença", comentou Cristina. 

Dados para ajudar
Pix: 81985568156 (telefone)
Contato para doação de ração ou outros itens: (81) 98556- 8156

Veja também

Skate no Recife: último dia da programação voltada para esporte reúne público e astros na Cidade
'Skate no .BB'

Skate no Recife: último dia da programação voltada para esporte reúne público e astros na Cidade

Fuzil usado contra Trump, AR-15 foi a arma mais utilizada em chacinas nos EUA na última década
ataque

Fuzil usado contra Trump, AR-15 foi a arma mais utilizada em chacinas nos EUA na última década

Newsletter