Biografia de Reinaldo de Oliveira é lançada na APL

Livro 'Reinaldo de Oliveira - Do bisturi ao palco' ganhou noite de autógrafos na Academia Pernambucana de Letras

Reinaldo de Oliveira e Antonio Cadengue em noite de lançamento de biografiaReinaldo de Oliveira e Antonio Cadengue em noite de lançamento de biografia - Foto: Henrique Genecy/Folha de Pernambuco

Desde a infância, Reinaldo de Oliveira experimentou as glórias da ribalta. Filho de Valdemar de Oliveira, fundador do Teatro de Amadores de Pernambuco (TAP), Reinaldo também guarda outra paixão: a Medicina. Dividido entre estas duas atividades, ele chega aos 87 anos e acaba de ter lançada sua biografia, nesta sexta-feira (23), em prestigiado evento na Academia Pernambucana de Letras (APL), no bairro das Graças, Zona Norte do Recife.

O livro "Reinaldo de Oliveira - Do bisturi ao palco" (260 páginas, R$ 80), escrito por Antonio Edson Cadengue, integra a coleção "Memórias", da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), que homenageia figuras importantes da sociedade pernambucana.

Na publicação, o leitor encontra o perfil de Reinaldo de Oliveira com informações garimpadas a partir de longas entrevistas com o biografado e pesquisas feitas por Cadengue. "Há um ano que Cadengue lida comigo para compor esse livro, que estou vendo pela primeira vez e que saiu muito bonito. Me sinto muito gratificado talvez porque eu ache que estou abaixo do merecimento. Às vezes, me perguntam como consigo conciliar a Medicina com os palcos e eu respondo: quando estou operando, estou pensando no espetáculo da noite e, quando estou no espetáculo, estou pensando na cirurgia do dia seguinte", comentou Reinaldo.

Apesar de ter ingressado no curso de Medicina aos 18 anos, a dedicação ao teatro não o impediu de participar e protagonizar diversos espetáculos teatrais, como "Arsênico e alfazema" e "Um sábado em 30", como conta a biografia. "Cadengue mostrou que é escritor. Eu não sou escritor, sou falador. Como se não bastasse a Cepe ter esse projeto ´Memórias´, vai buscar um homem como Cadengue, escritor vasculhador da alma da gente a ponto de encontrar coisas que nem nós percebemos", elogiou o biografado.

Para Cadengue, o livro estabeleceu entre eles uma amizade muito mais forte do que no passado. "Este perfil não resvala para um debate, apenas tentei conhecê-lo mais do que pude ao longo de suas facetas. Estou muito feliz por trazer uma história de vida muito importante para a cidade e para o Teatro, para a Medicina, para as Letras. Uma pessoa incrível como ele, uma pessoa de sete instrumentos. Fico feliz de ser esse porta-voz dele, porque o livro é Reinaldo por Reinaldo", pontua o encenador e pesquisador.

A presidente da APL, Margarida Cantarelli, também ressaltou a importância do homenageado para Pernambuco. "Reinaldo, para nós, é um símbolo do teatro, que é uma manifestação artística e literária do maior relevo. A Academia se sente muito feliz em ver esse reconhecimento e estamos cada vez mais próximos da sociedade. Ter um acadêmico com biografia publicada pela Cepe, que é uma referência, nos dá muito orgulho", disse.


Veja também

Ana Maria Braga aparece de dreads no Mais Você e gera repercussão nas redes sociais
TELEVISÃO

Ana Maria Braga aparece de dreads no Mais Você e gera repercussão nas redes sociais

Dizer quem foi Alice Guy, a primeira das cineastas, justifica filme narcisista
Audiovisual

Dizer quem foi Alice Guy, a primeira das cineastas, justifica filme narcisista