Cultura+

Energia feminina pelo tarot

A importância de harmonizar a energia feminina e masculina em cada indivíduo é que gera o equilíbrio e o respeito a caminho do êxito pleno em todas as dimensões.

Estrela - carta do tarot - pintado por Clotilde Moraes (Kolo)Estrela - carta do tarot - pintado por Clotilde Moraes (Kolo) - Foto: Gabriel Teixeira/Cortesia

A melhor forma de homenagear as mulheres é tentar conhecer um pouco mais a energia que circula ao seu redor, dessa maneira, eu convidei Ronaldo Patrício, que é Tarólogo e trabalha com o tarot Encantado; e, Mayra Melo, que também é Taróloga e trabalha com o tarot Rider-Waite.

A escolha do Tarot (os arcanos são verdadeiras obras de artes desenhadas em um período e seu contexto histórico dimensional) é  pessoal e depende da identificação de cada profissional com as imagens ali produzidas. Como já citei anteriormente, apesar de colecionar tarot, amo usar o tarot de Kier, ou mais conhecido como tarot Egípcio.

SUGESTÃO DE LEITURA:

Tarot Egípcio - com um toque de Irma Myrl K. Jacobovitz

Ronaldo escreve e homenageia a energia feminina em todo Universo com toda a simpatia, dedicação e profissionalismo que possui (grata pela colaboração).

Ronaldo Patrício: “O tarot e a energia feminina - O planeta Terra é habitado por diversas formas de vida. Dentre elas, encontra-se a forma humana, que é dividida entre homens e mulheres, masculino e feminino, respectivamente. Yin e Yang, duas energias potentes, que vibram em polaridades distintas, mas que se complementam tanto fora, quanto dentro de nós.

Mesmo que a sociedade fortaleça as diferenças existentes entre ambas as energias, e importante que saibamos que ela é comum para os dois gêneros, ou seja, no homem contém a energia feminina e vice-versa. Algumas religiões orientais e o próprio esoterismo estimula que possamos harmonizar internamente essa polaridade e com o tarot não poderia ser diferente.

Ao longo dos 22 arcanos maiores, vemos o herói ou a heroína vivenciar cada casa ora na energia masculina, ora feminina, ora vivencia certa androginia. Assim como o princípio da dualidade que existe no Universo, cada trunfo do tarot também vibra nessa mesma frequência.

No mês dedicado às mulheres, podemos perceber que o papel da mulher no tarot é pela manifestação do seu poder, num crescente em espiral. Na medida em que a heroína segue sua jornada, ela apresenta facetas distintas de sua personalidade, o que chega até nos surpreender, como se fosse uma pessoa completamente diferente.

A jornada feminina tem início com o arcano 2, que apresenta a energia da mãe, geradora e acolhedora, sábia e serena, com A Sacerdotisa. Seu poder é o de conexão com Tudo o que existe. Contida, discreta, ela guarda em si a promessa do novo em seu ventre. Sábia, ela prefere poupar energias para uma análise mais aprofundada, pois não é mulher de superficialidades, tampouco de realizar bordejos mentais. Ela vai direto ao ponto!

Já o arcano 3 – A Imperatriz, a mulher surge menos contida, mais aberta à vida social, pois adora festas, prazer e alegria. Sociável, esse trunfo quer que o Céu aconteça na Terra, por isso, quem usufrui de sua presença já sabe que passará momentos agradáveis, regados a uma ótima conversa, calor humano. Satisfação dos desejos! Poderosa, sabe bem qual o seu lugar de honra no mundo.

Uma guerreira surge no arcano 7 – O Carro. Ela conseguiu construir suas próprias ferramentas, armas e condução. Com isso, conquistou sua independência. Autônoma, vivencia os desafios, sem se importar com as vitórias ou derrotas. Para ela, o foco está no aprendizado diário. Seguir a sua jornada com coragem e perseverança é o seu principal foco. Dona de si, segura as rédeas de própria vida!

Após ter vivenciado tantas batalhas, conseguimos compreender um pouco o porquê de ela ter se preparado tanto na vida, para enfrentar suas feras, quando aparece no arcano 8 – A Força. O fato de estar tão próxima a um animal selvagem a faz entrar em sintonia com o seu lado instintual, suas sombras, seu ego ferido, seus monstros... Ao mesmo tempo, os desafios da vida e as provocações externas podem deixá-la na defensiva ou mesmo fazê-la partir para o ataque. Destaque para sua autenticidade e ousadia!

Bem, como nem só de batalhas e enfrentar leões vive a mulher, eis que no arcano 14 – A Temperança, ela aparece em busca de se refazer internamente das experiências vivenciadas até aqui. Parada obrigatória para poder seguir. Aqui, ela precisa se aliar ao tempo a fim de nutrir mais confiança em si, pois precisa aprender que nem tudo depende de seu empenho. Às vezes, o que tanto se quer não vem no momento em que desejamos. Enquanto isso, ela usa o tempero necessário para se aliar ao tempo e reconhecer que a paciência é tudo!

Após uma pausa estratégica, ela ressurge nua, exatamente como nasceu, sem fantasias, máscaras ou subterfúgios na casa 17 – A Estrela. Plena de desejos, derrama estrelas na Terra a fim de criar uma conexão com o Universo, para que, lá de cima, o Universo norteie-se pelas luzes terrestres e realize seus sonhos. A esperança que anima a alma!

Por fim, depois de passar por tantas vivências profundas em sua jornada, ela ressurge disposta a seguir seu caminho, no seu caminhar que se alquimiza e se torna mais forte, mais ela mesma, mais mulher em sua essência, mais humana, na última casa 21, última da jornada, como O Mundo. Um ser luminoso, pleno de si, que se expande em direção ao novo!”

Para melhorar essa expansão da energia feminina, confiante que o céu tem muitas estrelas e permite que o brilho delas se expandam, aqui temos a escrita de Mayra Melo,  com a sua experiência e dedicação, colabora conosco com o enriquecimento para compreender essa vibração feminina pelo taror (também agradeço o carinho e dedicação).

Mayra Melo: “As mulheres estão por todos os lados nas cartas do tarot de Rider-Waite - inclusive do lado de fora. Desenhado pela estadunidense Pamela Colman Smith em 1909, o deck que Arthur Edward Waite considerava ser sua ‘correção’ para as cartas tradicionais acabou virando um dos tarots mais populares do século 20, sendo usado até hoje por tarólogos iniciantes e profissionais.

As cartas escolhidas para este 8 de Março são os Arcanos Maiores que trazem figuras femininas personificando sua lição. O fato de apenas seis em 22 cartas terem mulheres protagonistas, fala principalmente de um tempo onde nosso acesso à imensidão da vida era ainda mais restrito que hoje - vide o nome pelo qual o tarot de Rider-Waite ficou conhecido, junção dos sobrenomes de seus editor e criador: dois homens! Graças às Pamelas da contemporaneidade, porém, essa realidade continua num processo de desconstrução ainda lento, porém intenso e bonito de ver.

Mas antes de começar a explorar o universo simbólico do tarot é importantíssimo deixar claro que ‘mulher’ e ‘energia feminina’ são conceitos distintos. Nós, seres humanos, vivenciamos diariamente tanto o feminino quanto o masculino, independente de nosso gênero. Ao fazer a polarização dessas energias, de maneira alguma eu quero dizer que uma é melhor que a outra ou instituir regras sobre o que eu acho que deva ser um comportamento tipicamente feminino - até porque, na minha humilde opinião, o único comportamento aceitável para qualquer pessoa é aquele com o qual ela se sente plenamente confortável e realizada. Isto posto, vamos às cartas!

Arcano II - A Suma Sacerdotisa
A primeira carta com uma protagonista mulher é uma síntese sobre a experiência feminina do conhecimento. A Sacerdotisa simplesmente sabe, mesmo que não tenha à disposição fatos ou comprovações; seu saber vem de sua conexão direta com a Divindade e da sua capacidade de silenciar e se interiorizar para ouvir a voz do inconsciente. Nós entramos em contato com sua energia através do sonho, da intuição ou da meditação.

Arcano III - A Imperatriz
Já a Imperatriz fala sobre a experiência feminina em si: os ciclos naturais, a capacidade de criar uma obra de arte ou um filho, a abundância e a entrega total à vida estão representadas na figura dessa matriarca. Com ela aprendemos a cuidar de nós mesmos, assim como a confiar plenamente no fluxo do Universo. Sua energia está presente no caos perfeitamente ordenado da natureza.

Arcano VIII - Força
Nesta carta temos uma mulher fazendo carinho num leão, que retribui o gesto lambendo-lhe a mão. O leão corresponde ao lado primitivo e feroz da psique, nossos instintos; já a mulher representa nossa força de vontade, a capacidade de sermos gentilmente mais fortes do que nós mesmos. Com esse encontro, a Força simboliza o momento em que conseguimos dizer não mesmo quando todo nosso corpo parece querer gritar sim, acolhendo a nós mesmos com amorosidade.

Arcano XI - Justiça
Apesar de andrógina, o arcano é uma mulher com a figura austera que estampa a carta da Justiça. Ela faz referência às deusas gregas Têmis e Dice e à romana Justitia. Sua balança mensura o peso de nossas ações e escolhas, enquanto sua espada elimina tudo aquilo que não tem mais lugar em nossas vidas. Sua presença pode ser sentida sempre que escolhemos olhar para uma questão de maneira mais clara e objetiva, tentando não nos deixar influenciar pelos nossos sentimentos.

Arcano XVII - A Estrela
Este Arcano traz uma mulher nua debaixo de um céu estrelado; das ânforas em suas mãos ela despeja água num lago e na terra, realimentando o ciclo de fertilidade da natureza. A Estrela nos diz que é fácil esquecer quem somos se olhamos para cima e nos sentimos pequenos e distantes; mas que quando nossos olhos se reconhecem em seu brilho, nós voltamos a nos entender como parte importante do funcionamento do Universo - e voltamos a confiar no futuro.

Arcano XXI - O Mundo
O último dos Arcanos Maiores traz em seu centro a Anima Mundi, ou ‘Alma do Mundo’, a essência divina que os alquimistas acreditavam permear a natureza e gerar toda vida. Praticamente nua, ela dança dentro de uma coroa que parece não ter começo nem fim; nos cantos da carta estão a efígie dos quatro evangelistas, que também representam os quatro elementos. O Mundo simboliza o momento em que fazemos a síntese interna dos aprendizados de um processo e conseguimos, finalmente, encerrar mais um ciclo. Voltamos a nos sentir inteiros e unos com o nosso meio. Esse sentimento nos traz a confiança de que tudo fica bem, no final, e que sempre teremos força para recomeçar.”

A importância de harmonizar a energia feminina e masculina em cada indivíduo é que gera o equilíbrio e o respeito a caminho do êxito pleno em todas as dimensões, seja quais forem os instrumentos usados no percurso da sua caminhada. Mas essa harmonia nem sempre é comum e fácil de ser equilibrada e respeitada.

Assim, finalizo com a frase de um Grande Amigo Pessoal, Luciano Markus Goes: “Amo as mulheres, principalmente as que tem personalidade forte, como as que estão na minha vida. As mulheres são cem por cento o centro da humanidade, pois até para nascer, os homens dependem dela.”

Milhões de beijos iluminados,

Profissionais colaboradores deste artigo (muito agradecida pela prontidão e carinho):

Ronaldo Patrício - Tarólogo e Jornalista
. Atende presencialmente e online pelo telefone (WhatsApp): (81) 9.9503.6966 - E-mail: [email protected].

Mayra Melo - Terapeuta floral, Taróloga e Reikiana - Local: Vidya Terapias Complementares - Av. Dantas Barreto, 324, 7o. andar, Dantas Barreto, Recife-PE. Contatos: (81) 99999-5826 – E-mail: [email protected] – Instagram/Facebook: @luaesoltarot.

* Mariomar Teixeira -
Numeróloga & Consultora: de Feng Shui, de 4 Pilares e de Zi Wei Dou Shu. Contatos: (81) 99807.4568 - Tim e WhatsApp /(81) 99100.9617 (Claro) – E-mail: [email protected].

Formada em Secretariado na UFPE com mestrado em Extensão Rural e Desenvolvimento Local na UFRPE. Filha, esposa e mãe. Ama ler, estudar, tricotar e cozinhar. Dedica-se aos estudos de metafísica desde 1980, principalmente Numerologia. Em 1993, além de assumir um concurso público federal, também o trabalho como numeróloga é reconhecido. Colunista da Folha de Pernambuco de 1998 a 2005, coluna Numerologia. No mesmo período foi colunista da Revista Club com as colunas: Holística e Lançamento de livros. Professora e Consultora de Feng Shui desde 1997.

* A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.

Veja também

'A amiga genial', de Elena Ferrante, é eleito o melhor livro do século, veja todos os 100
PREMIAÇÃO

'A amiga genial', de Elena Ferrante, é eleito o melhor livro do século, veja todos os 100

Festival Miçanga: confira as novas atrações do evento que acontecerá no Classic Hall
Festival

Festival Miçanga: confira as novas atrações do evento que acontecerá no Classic Hall

Newsletter