Projeto Davos Pernambuco 2019

Esta seria uma grande oportunidade para que Pernambuco, como poder público e privado prepare a temática do próximo ano e esteja presente

Rainier Michael, Cônsul da EslovêniaRainier Michael, Cônsul da Eslovênia - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Em 23 de janeiro teve início, na cidade de Davos, na Suíça, um grande evento: o Fórum Econômico Mundial (World Economic Forum), contando com a presença das principais autoridades globais e a realização de 400 painéis sobre os mais variados temas que vão de crescimento sustentável a assédio sexual. Mas, enfim, o que Pernambuco e o Brasil tem para contribuir com personalidades ou temas de relevância mundial?

Se confirmamos a tendência da última edição Davos 2017, teremos uma pequena presença de brasileiros e de empresas Brasileiras com exceção das tradicionais Bradesco e Itaú Unibanco, além da Embraer, Ultra e a farmacêutica EMS. Leio com frequência os grandes “gurus” brasileiros falando em competitividade, mas percebo que a principal organização Brasileira que realiza um dos estudos sobre competitividade não compareceu ao World Economic Forum, em Davos, na Suíça em 2017!

No estudo feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a posição do Brasil é a penúltima entre 18 países. Só ganhamos da Argentina. Como depois constatado, seu presidente não estava presente e tão pouco seus principais dirigentes.
Ainda não temos a confirmação da presença de pessoas e entidades que estarão prestigiando o fórum, este ano, mas tudo indica que repetiremos o baixo quórum de 2017.

Países Davos

Vejam que, na comparação entre 18 países, o Brasil encontra-se na penúltima posição do ranking geral de competitividade e, além disso, o país se mantém em penúltimo lugar desde 2012, quando o ranking geral começou a ser divulgado.

Mas o que podemos fazer? Poderíamos nos preparar para 2019! Esta seria uma grande oportunidade para que Pernambuco, como poder público e privado, leia-se entidades representativas da Indústria e Comércio, prepare a temática do próximo ano e esteja presente nesta que é considerada uma das maiores vitrines atuais para o desenvolvimento sustentável e social.

A CNI tem reclamado, repetidamente, dos preços dos produtos chineses e da política chinesa de "dumping", mas vejam que uma das principais atrações em DAVOS em 2017, foi justamente do Presidente da República Popular da China, Xi Jinping. “A competitividade de um país não começa nas indústrias ou nos laboratórios de engenharia. Ela começa na sala de aula”. Lee Iacocca

Fica o desafio: Criar o projeto DAVOS PERNAMBUCO 2019!

*Empresário há 35 anos, Rainier Michael tem ampla experiência em trocas internacionais. O trabalho realizado por ele junto ao consulado esloveno, e designado “Diplomacia Econômica”, interpreta sob uma visão humana o desenvolvimento e o crescimento do Nordeste. Paulista de nascença, Michael se mudou para Pernambuco há dez anos, quando seus negócios no Estado cresceram de forma a tornar indispensável sua presença aqui. Seu comparecimento nos mercados pernambucanos, entretanto, é mais antigo do que isso. Antes de assumir o consulado, já era representante da Sociedade Brasil-Alemanha no Nordeste. É destacável, também, sua atuação enquanto presidente do Rotary Club Recife. ([email protected])

* A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.

 

Veja também

Caixa credita saque emergencial do FGTS para nascidos em julho
FGTS

Caixa credita saque emergencial do FGTS para nascidos em julho

Pernambuco retoma e amplia setores em regiões do Estado a partir desta segunda-feira (10)
Coronavírus

Pernambuco retoma e amplia setores em regiões do Estado a partir desta segunda-feira (10)