segurança no Haiti

Primeiro contingente da polícia queniana chega ao Haiti para missão de segurança

O Quênia propôs enviar mil agentes policiais ao Haiti para esta missão, cuja duração inicial será de um ano

As forças de segurança quenianas chegam ao Aeroporto Internacional Toussaint Louverture, em Porto PríncipeAs forças de segurança quenianas chegam ao Aeroporto Internacional Toussaint Louverture, em Porto Príncipe - Foto: Clarens Siffroy/AFP

Um primeiro contingente de policiais quenianos chegou nesta terça-feira (25) a Porto Príncipe, no âmbito de uma missão internacional para restaurar a segurança no Haiti, um país abalado pela violência de gangues, confirmou a AFP.

Um avião da companhia aérea nacional Kenya Airways pousou pouco antes das 14h GMT (11h no horário de Brasília) no aeroporto da capital haitiana com policiais a bordo.

O avião descolou de Nairóbi na noite de segunda-feira (24), depois de o presidente queniano, William Ruto, ter visitado os agentes antes da partida.
 

“Esta missão é uma das mais urgentes, importantes e históricas da história da solidariedade global”, declarou o chefe de Estado em uma cerimônia realizada a portas fechadas, segundo o gabinete presidencial.

O Quênia propôs enviar mil agentes policiais ao Haiti para esta missão, cuja duração inicial será de um ano e na qual Bangladesh, Benin, Chade, Bahamas e Barbados se comprometeram a participar.

O destacamento desta força, aprovado por uma resolução do Conselho de Segurança da ONU em outubro, foi duramente criticado no Quênia.

O Haiti sofre de instabilidade política crônica há décadas e, nos últimos meses, enfrentou um recrudescimento da violência de gangues, que controla 80% da capital, Porto Príncipe.

A espiral de violência causou uma crise humanitária no pequeno país caribenho.

Veja também

Explosão em café deixa cinco mortos na capital da Somália
ATENTADO

Explosão em café deixa cinco mortos na capital da Somália

Militantes fazem ato esvaziado contra Lula e Moraes e com exaltação a Trump
MANIFESTAÇÃO

Militantes fazem ato esvaziado contra Lula e Moraes e com exaltação a Trump

Newsletter