Lula

TCU manda governo Lula suspender licitação de R$ 197,7 milhões para gestão de redes sociais

Área técnica do tribunal apontou suspeita de irregularidades no processo de escolha de empresas; governo nega ilicitude

Tribunal de Contas da União (TCU)Tribunal de Contas da União (TCU) - Foto: Divulgação/Senado Federal

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou nesta quarta-feira que a Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República suspenda a licitação de R$ 197,7 milhões para gestão de redes sociais, após a análise de indícios de irregularidades.

O pregão visava à contratação de quatro empresas para atuar nas ações de divulgação do governo Luiz Inácio Lula da Silva. Procurada, a Secom ainda não se manifestou.

A decisão foi tomada pelo plenário do tribunal, seguindo voto do relator Aroldo Cedraz, após representação do Ministério Público junto ao TCU.

Ao votar, o ministro apontou que os fatos narrados "por si só, revestem-se de extrema gravidade e demandam atuação imediata desta Corte a fim de evitar que se concretize contratação possivelmente eivada de vício insanável, ou mesmo por fato típico a ser apurado na esfera competente”.

Os ministros pediram ainda que a Secom, no prazo de 15 dias, se manifeste “acerca dos indícios de irregularidades indicados nesse processo” e “a realização de diligência junto à Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, para que, no prazo de quinze dias, informe sobre os instrumentos de controle previstos para mitigar o risco de desvio de finalidade na execução dos contratos decorrentes da concorrência”.

Como O GLOBO mostrou no fim de junho, em um relatório concluído em maio, a área técnica do Tribunal entendeu que o pregão, que resultaria em gastos de R$ 197,7 milhões, poderia ter violado o sigilo das propostas técnicas das empresas concorrentes, “uma vez que o resultado da licitação foi divulgado pela imprensa, de forma cifrada, um dia antes da data em que seriam abertos os envelopes contendo a identificação quanto à autoria de cada plano de comunicação digital”.

A Secom de Lula anunciou no dia 24 de abril quatro empresas vencedoras do pregão. Essa é considerada a maior licitação da história do governo federal para a área de comunicação digital.

Um dia antes do resultado, porém, o portal O Antagonista divulgou, de forma cifrada, informações sobre as empresas que seriam anunciadas vencedoras no dia seguinte.

“Se a subcomissão técnica conhecia antecipadamente a autoria de cada proposta técnica, como sugerem as evidências, o fato se constitui em irregularidade grave, conforme sustenta o representante, resultando em possível direcionamento do certame e maculando todo o procedimento da licitação”, diz trecho do relatório.

A divulgação antecipada do resultado motivou o Ministério Público Junto ao TCU solicitar que o caso fosse investigado, uma vez que o órgão teria “se deparado com informações publicadas na imprensa que demonstravam ter havido o descumprimento das normas editalícias que exigiam o sigilo quanto à autoria dos planos de comunicação”.

Veja também

Entenda estudo da Nasa sobre 'Brasil inabitável' em 50 anos
clima

Entenda estudo da Nasa sobre 'Brasil inabitável' em 50 anos

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas
Guerra

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas

Newsletter