FESTEJOS JUNINOS

São João deve atrapalhar a agenda de trabalho no Congresso Nacional em Brasília; entenda

Festejos juninos, tradicionais no Nordeste, impactam no esvaziamento da presença dos deputados da Região

Congresso NacionalCongresso Nacional - Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Os festejos juninos já ameaçam esvaziar a pauta do Congresso Nacional. Embora a festa de São João ocorra entre os dias 23 e 24 deste mês, esta semana, por exemplo, é possível que as duas Casas – Senado e Câmara – já sofram prejuízos pela ausência de parlamentares nordestinos.

Na próxima quinta-feira, dia de Santo Antônio, será impossível segurar deputados e senadores em Brasília.

Há assuntos importantes nas duas Casas. No Senado, algumas pautas estão previstas para serem apreciadas antes do recesso, em julho, mas ainda se encontram nas comissões da Casa Alta. Entre elas, está a atualização do Código Eleitoral e o marco sobre a Inteligência Artificial.

Os senadores também farão, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), um esforço concentrado para sabatinar autoridades indicadas a cargos em órgãos como o Tribunal Superior do Trabalho (TST), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).


Câmara dos Deputados

Já na Câmara dos Deputados, o maior foco é aprovar os projetos que regulamentam a reforma tributária. Dois grupos de trabalho com sete deputados cada foram criados pelo presidente Arthur Lira (PP-AL), e cada um precisa produzir um relatório consensual sobre os projetos de lei complementares enviados pelo Ministério da Fazenda, para serem votados em plenário a partir da próxima semana.

Os festejos movimentam a economia, sobretudo em cidades do Nordeste e, em ano de eleições municipais, a presença de deputados e senadores em seus redutos eleitorais é imprescindível.

Na última semana do mês, os dias de São João (24/6) e de São Pedro e São Paulo (29/6) costumam esvaziar ainda mais as comissões e plenários do Legislativo.

Pautas prejudicadas

Algumas pautas prioritárias podem ser prejudicadas, tendo em vista que os congressistas só têm aproximadamente um mês antes do recesso parlamentar, que começa em 17 de julho. A expectativa é de que o segundo semestre seja de menor movimento no Congresso, devido aos pleitos municipais.

Ao sair da reunião de líderes partidários do Senado Federal na última semana, Tereza Cristina (PP-MS) citou projetos importantes para a pauta dos próximos dias, mas resumiu: “Tem muita coisa aí pra acontecer nessas próximas duas semanas e o São João também, no Nordeste”.

 O senador Carlos Portinho (PL-RJ) também relembrou que junho “é um mês um pouco prejudicado”. “Todos que acompanham Senado e Congresso sabem, chega o fim de junho, aquelas semanas em que muitos parlamentares estão nas suas bases, São João”, disse o parlamentar.

Veja também

Macedônia do Norte aprova novo governo de centro-direita após as eleições de maio
DECISÃO

Macedônia do Norte aprova novo governo de centro-direita após as eleições de maio

Aborto se torna tema central na reta final da campanha de Biden e Trump nos Estados Unidos
POLÊMICA

Aborto se torna tema central na reta final da campanha de Biden e Trump nos Estados Unidos

Newsletter