Coluna Movimento Econômico

Brasil à espera da recessão nos Estados Unidos

Curva de juros invertida nos EUA, dá sinais de que a economia pode mudar a qualquer momento

Sede do Federal ReserveSede do Federal Reserve - Foto: Imagem de Deborah Cromwell por

O ciclo de expansão dos Estados Unidos se estende há 12 anos. Pelos padrões históricos já deveria ter ocorrido uma desaceleração da economia norte-americana e até mesmo uma recessão. O giro na roda da economia vem sendo aguardado por vários atores do mercado financeiro. Luiz Fernando Araújo, sócio e gestor da Finacap Investimentos, é um deles. Ele lembra que lá nos EUA, quando a curva de juros fica invertida - o juro de curto prazo maior que o de longo prazo – é sinal de que uma retração será sentida em breve.

E essa curva vem invertida desde o período pós-pandemia, quando a economia aqueceu, fazendo a inflação disparar e levando o Federal Reserve (FED), o banco central americano, a elevar os juros no país para 5%. Atualmente, o juro norte-americano de longo prazo está na faixa de 3%. Isso indica que o mercado está prevendo retração, mas há uma demora acima da média para que isso aconteça.

Aqui no Brasil a curva de juros não está invertida. As taxas de curto prazo estão na casa dos 10,5% e as de longo prazo, em 11,56% para 2025. Quando as taxas de juros de curto e longo prazo são muito parecidas ou iguais temos uma curva flat. Ela é um indicador que sinalizao um cenário de incerteza ou instabilidade econômica, pois os investidores não sabem se a economia vai crescer ou entrar em recessão no futuro.

Se os Estados Unidos entrarem em recessão, será bom para o Brasil, que tende a atrair mais investimentos.  Da última vez que tivemos um declínio na economia norte-americana, no final dos anos 90, com a bolha das empresas “ponto com”, os países integrantes do Brics tiveram uma década de ouro a partir dos anos 2000. Como estamos 16 anos estagnados, sem mudar de patamar, esse giro na “roda da fortuna” é muito aguardado por aqui.

Só para ilustrar vale citar estudo recente da Finacap, que analisou os ciclos históricos do Ibovespa, principal índice de ações brasileiras, desde 1967. A análise mostrou que o Ibovespa vem estagnado desde junho de 2008 (último mês analisado foi abril passado), somando 191 meses sendo negociado no patamar de 23 mil pontos em dólar.

Na visão de Luiz Fernando, se o Brasil estivesse investindo em infraestrutura, já estaria atraindo o capital internacional. A índia já se beneficia deste cenário justamente porque vem fazendo investimentos em grandes obras estruturadoras, o que contribuiu para o crescimento do seu Produto Interno Bruto (PIB), além do que é um país barato, geopoliticamente estável com o Ocidente e o Oriente e com potencial de crescimento semelhante ao da China.


Microcrédito
Dados de abril do Prospera, o programa de microcrédito do Santander Brasil, revelam que a cidade de Caruaru demandou R$ 11 milhões em microcrédito para o período junino. A maioria dos recursos, 62,2%, foram para as mulheres com atividades na indústria de confecção e no ramo dos cosméticos. 

Recuperação de tributos
A Procuradoria do Geral do Município (PGM) do Recife registrou um recorde nos meses de abril e maio deste ano no que se refere à recuperação de tributos da dívida ativa, ultrapassando a marca de R$ 37 milhões. Esse montante representa um acréscimo de 24% nos valores recuperados em relação ao mesmo período em 2023. 
 

Leia também no Movimento Econômico:

BNB sobe 14 posições no ranking das 100 marcas mais valiosas

Veja também

Modelo de negócio do Polo de Confecções do Agreste é replicado  
Coluna Movimento Econômico

Modelo de negócio do Polo de Confecções do Agreste é replicado  

Aprovado, marco legal do H2V destrava investimentos do setor
ENERGIA

Aprovado, marco legal do H2V destrava investimentos do setor