Jovem e imprevisível, eis a Uninassau na LBF

Após duas derrotas, equipe conseguiu vencer a primeira partida na liga de basquete feminino

Média de idade da equipe pernambucana é e 23 anosMédia de idade da equipe pernambucana é e 23 anos - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Após três rodadas realizadas pela Liga de Basquete Feminino, a equipe da Uninassau está com o aproveitamento de 33%, o que significa uma vitória e duas derrotas no maior campeonato brasileiro feminino da modalidade. Em jogo válido pela primeira rodada, as pernambucanas refletiram em quadra a ansiedade da estreia. Fora de casa, contra a equipe do Sampaio Correia/MA, o jovem grupo de média de 23 anos cometeu muitos erros que não foram compensados, não sendo páreo para o elenco maranhense, que soube aproveitar as falhas das adversárias.

No segundo confronto do time de Roberto Dornelas, a vitória escapou por detalhes. Do outro lado estava o forte elenco do Vera Cruz/Campinas, formado em grande parte por atletas campeãs da última edição, título conquistado justamente contra a Uninassau, que ficou com o vice. Com 19 pontos da cubana Ariadna, as pernambucanas sofreram com a ex-atleta da instituição, que comandou o time paulista. Após ‘apagão’ no decorrer do segundo quarto, a reação na volta do intervalo não foi suficiente para chegarem à primeira vitória, ficando o ‘gostinho’ para o desafio seguinte.

O sucesso finalmente chegou. Depois de duas partidas de aprendizado, as meninas da Uninassau conseguiram pôr em prática as orientações de Dornelas e venceram o time do Funvic/Ituano pelo placar de 70x55. Aproveitaram de maneira crucial as principais características do time: jogo de transição, contra-ataques, vigor físico e agilidade. Desta maneira, não deu para as visitantes da cidade de Itu, que também buscavam o primeiro êxito no campeonato.

Da análise dos três primeiros confrontos da representante de Pernambuco na LBF, depreende-se que o time apresentou uma evolução nítida ao conseguir realizar o que treina todos os dias. Nervosas na estreia e conscientes no terceiro jogo, as meninas dirigidas por Dornelas começam a dominar suas limitações e usufruir de suas qualidades. O campeonato em si apresenta um equilíbrio entre as equipes que não dá para prever resultados ou arriscar um campeão, a paridade vista nas disputas até então mostram que o público que acompanha a Liga ainda terá muitas surpresas pela frente.  A própria equipe de Dornelas, que em outras temporadas surgia como favorita, este ano está mais modesta e ainda assim não é adversária fácil para os demais times. A Liga de Basquete Feminino 2018 promete bastante imprevisibilidade.

Veja também

Tribunal desportivo autoriza Flamengo a transmitir final da Taça Rio
Campeonato Carioca

Tribunal desportivo autoriza Flamengo a transmitir final da Taça Rio

Barcelona vence dérbi com duas expulsões e VAR
Futebol

Barcelona vence dérbi com duas expulsões e VAR