Futebol

Náutico oficializa saída de Mazola Junior; Marquinhos Santos é sondado

Treinador deixa o clube com apenas duas vitórias em nove jogos, com o Timbu em 11º na Série C

Mazola JúniorMazola Júnior - Foto: Gabriel França / CNC

Chegou ao fim a passagem do técnico Mazola Júnior no Náutico. Após o empate em 2x2 diante do Caxias, no último domingo (9), nos Aflitos, pela Série C do Campeonato Brasileiro, o treinador teve a saída oficializada pelo clube. O Timbu agora vai em busca de outro nome no mercado para a equipe na sequência da temporada. Segundo informações apuradas pela reportagem, um dos cotados é Marquinhos Santos, comandante do América-RN.

 

Mazola esteve no comando do Náutico por apenas nove jogos. Ao todo, foram duas vitórias, três empates e quatro derrotas, com aproveitamento de 33,3%

O treinador durou pouco mais de dois meses no cargo, chegando no lugar de Allan Aal e estreando com um empate em 0x0 na segunda partida da final do Campeonato Pernambucano, diante do Sport, na Arena de Pernambuco. Resultado que deu o título ao Leão.

Na Copa do Nordeste, Mazola teve apenas um jogo, na derrota por 3x0 para o Bahia, na Arena Fonte Nova, pelas quartas de final. Na Série C, em sete jogos, o time somou apenas oito pontos, ocupando a 11ª posição.

A saída de Mazola acontece em meio ao cenário de instabilidade no clube. Dias antes, um grupo de uma uniformizada do Náutico invadiu o Centro de Treinamento Wilson Campos para cobrar atletas, comissão técnica e dirigentes. O treinador era um dos principais alvos da revolta.

Na partida contra o Caxias, Mazola foi um dos mais vaiados pela torcida. Na coletiva, o treinador avaliou a pressão no cargo e negou ter ambiente ruim no clube.

Mazola sobe o tom

“Estou no futebol há 20 anos como treinador e 49 somando tempo de jogador de base. A pressão é normal. Aqui vem pouco em cima de jogador porque os interesses são outros. O técnico é um só. Ainda mais eu, que não tenho proteção alguma. Nem assessor de imprensa tenho”, apontou. 

“O ambiente dentro do clube é muito bom. A simbiose com a comissão técnica é sensacional. Ouvi dizer que o grupo estava rachado, mas isso não existe. Foi plantado, é algo absurdo, coisa de vagabundo. Não tem isso. Jogador nunca me faltou com respeito porque, se tivesse, não estava aqui”, completou.

Sobre o próprio trabalho, Mazola qualificou como “sensacional”, mas subiu o tom ao dizer que o Náutico precisava de mudanças no elenco, com chegada e saída de atletas.

“O resultado não vem, mas o trabalho é sensacional. Lógico que medidas precisam ser tomadas. Contratações e dispensas para eu continuar aqui também. Não é justo um trabalho desses continuar sem resultado. Existem vários jogadores aqui sem o perfil que tracei: acesso na Série C ou histórico na B. Mesmo com o trabalho, não reagiram e não enquadraram na nossa metodologia de jogo. Quando isso acontece, o clube tem de pensar, infelizmente, em mais contratações e dispensas”, ressaltou.

Veja também

Liga das Nações: Brasil supera Holanda e emplaca segunda vitória seguida na competição
Vôlei

Liga das Nações: Brasil supera Holanda e emplaca segunda vitória seguida na competição

Conheça o Wolverhampton, próximo destino de Pedro Lima do Sport
Futebol

Conheça o Wolverhampton, próximo destino de Pedro Lima do Sport

Newsletter