Negada liminar que pedia suspensão do Baianão

Entre os motivos para a decisão desfavorável ao pedido está o apertado calendário do futebol brasileiro

Confusão marcou o BA-VI  de 18 de fevereiroConfusão marcou o BA-VI de 18 de fevereiro - Foto: Ag. A Tarde/Folhapress

O TJD-BA (Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia) negou, no início da tarde desta quinta-feira (1º), a liminar que pedia a suspensão das duas rodadas finais da fase classificatória do Campeonato Baiano, que acontecem domingo (4) e quarta-feira (9).

Na noite desta quarta-feira (28), o procurador-geral do TJD-BA, Ruy João, ingressou com uma Medida Inominada na secretaria do órgão alegando que o campeonato não poderia avançar sem a definição do resultado do julgamento do Ba-Vi, que será levado ao Pleno -Procuradoria, Bahia e Vitória vão recorrer.

Na decisão que nega seguimento à Medida Inominada, o TJD-BA alega que "as razões de direito invocadas não se mostram com a relevância suficiente a embasar a pretensão deduzida".

Leia também:
Procuradoria pede suspensão do Baianão após Ba-Vi polêmico
TJD nega pedido de liminar e mantém resultado do Ba-Vi
Ba-Vi tem brigas, nove expulsos e final antecipado
Ba-Vi: Vitória vai recorrer resultado favorável ao Bahia

"Na hipótese em concreto, diversamente, não se colhem motivos a justificar a qualificação dos fatos em debate como "excepcionais", tanto mais para justificar medida extremada de interrupção do campeonato na exata medida em que já há pronunciamento jurisdicional desportivo", acrescenta o Tribunal.

A decisão cita ainda o apertado calendário brasileiro como motivo para não se conceder a liminar: "Há de ser considerado, ademais, que o calendário esportivo no Brasil é apertado, não havendo possibilidade de utilização de muitas datas para a realização das partidas de futebol, havendo um período máximo em que deve ser concluído o campeonato estadual, conforme estipulação da entidade máxima do futebol nacional, a CBF".

No julgamento da última terça-feira (27), o técnico Vágner Mancini - acusado de orientar seus jogadores a forçar o fim antecipado da partida- foi absolvido pelo Tribunal, enquanto o Vitória, julgado pelo mesmo motivo, só levou multa de R$ 100 mil reais. A acusação da Procuradoria pede o rebaixamento do Vitória para a segunda divisão do Baiano.

Veja também

Náutico confirma contratação do meia Marcos Vinícius
Futebol

Náutico confirma contratação do meia Marcos Vinícius

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'
Manifestação

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'