fraude

Polícia Federal combate fraudes em transferências de renda em cinco estados

Estima-se que grupo criminoso, investigado pela Polícia Federal, furtou R$ 10 milhões

Polícia FederalPolícia Federal - Foto: Polícia Federal/Divulgação

A Polícia Federal (PF) faz nesta quarta-feira (10) ação contra grupo criminoso especializado em fraudar programas de transferência de renda em cinco estados.

A Operação Falso Egídio cumpre 11 mandados de prisão temporária e 16 de busca e apreensão no Rio de Janeiro, em São Paulo, no Amazonas, em Mato Grosso do Sul e no Piauí.

Estima-se que o grupo furtou R$ 10 milhões, com a ajuda de um servidor e duas funcionárias terceirizadas da Caixa, banco responsável pelo pagamento dos benefícios. Os empregados da instituição recebiam propina para liberar o acesso dos criminosos ao aplicativo Caixa Tem.

O grupo criminoso abria diversas contas bancárias em nome de moradores de rua, sem que as vítimas soubessem do uso indevido de sua identidade. Os fraudadores também se apropriavam das contas digitais dessas pessoas, por meio do Caixa Tem, e desviavam os valores recebidos de programas de transferência de renda para as contas abertas de forma fraudulenta.

Em seguida, os valores eram redistribuídos para os integrantes da associação criminosa, de acordo com a PF. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Federal de Niterói, no Rio de Janeiro, e as investigações contaram com o apoio da Caixa.

Seis pessoas foram presas até agora: três no Rio de Janeiro (duas em São Gonçalo e uma em Niterói), uma em São Paulo, uma no Amazonas e uma no Piauí.

Veja também

Ter covid ou se vacinar no começo da gestação não aumenta risco de malformação do bebê, diz estudo
CORONAVÍRUS

Ter covid ou se vacinar no começo da gestação não aumenta risco de malformação do bebê, diz estudo

Polícia Federal prende homem suspeito de matar filho da ialorixá Mãe Bernadete
Crime

Polícia Federal prende homem suspeito de matar filho da ialorixá Mãe Bernadete

Newsletter