Protesto interdita trecho da Av. Caxangá

Ambulantes protestam contra a opressão policial e criminalização da atividade

Av. CaxangáAv. Caxangá - Foto: Google Street View

Ambulantes que trabalham nos ônibus e nas estações de BRT protestam, na tarde desta quarta-feira (07) na avenida Caxangá, em frente ao banco Itaú, no sentido Derby, no Cordeiro, "contra a opressão policial e criminalização dos ambulantes". As duas faixas da avenida estão interditadas.

Este é o terceiro protesto dos ambulantes pela situação. “Estamos sendo abordados com armas, criminalizados. Queremos saber o que o Grande Recife vai fazer”, disse Edvaldo Gomes, presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Comércio Informal (Sintraci). Caso não obtenham respostas, o sindicato avisa que os protestos continuarão.

Leia também:
Ambulantes terão que trabalhar uniformizados na Agamenon Magalhães


O ato começou por volta das 14h30 e, segundo o Sintraci, conta com cerca 70 pessoas. Agentes da CTTU estão no local orientando desvio pela rua Francisco Vita. A  saída de ônibus foi interrompida na Estação Getúlio Vargas, em frente ao Terminal 3ª Perimetral, e já foi normalizada. 

Em nota, o Grande Recife reforçou que o comércio dentro de ônibus, Terminais Integrados e Estações de BRT no Recife e Região Metropolitana é proibido de acordo com o regulamento do Sistema de Transporte Público e Passageiros.  Explicaram ainda que, dentro dos Terminais Integrados, existem os permissionários, que são comerciantes que participaram de licitação e ganharam o direito de vender dentro da área. Tornando desleal a concorrência daqueles que não fizeram parte do processo. Para coibir o comércio informal, a Gerência de Segurança Institucional faz a vigilância dos terminais e são instruídos a tratar com respeito e cordialidade todas as pessoas.  

Veja também

A 8 dias da eleição, Senado dos EUA confirma juíza ultraconservadora para a Suprema Corte
internacional

A 8 dias da eleição, Senado dos EUA confirma juíza ultraconservadora para a Suprema Corte

Brasil atinge 5,4 milhões de casos da Covid-19
boletim

Brasil atinge 5,4 milhões de casos da Covid-19