Crise da Ucrânia

Macron, 'extremamente preocupado' com segurança das usinas nucleares na Ucrânia

Presidente irá propor medidas para a garantia de segurança das usinas nucleares da Ucrânia

Presidente francês, Emmanuel MacronPresidente francês, Emmanuel Macron - Foto: Ludovic Marin / Pool / AFP

O presidente francês, Emmanuel Macron, está "extremamente preocupado com os riscos" que "a invasão russa" pode trazer para a segurança das usinas nucleares na Ucrânia e proporá "medidas concretas" para reduzi-los, anunciou nesta, sexta-feira (4), a Presidência francesa em um comunicado.

"Rússia e Ucrânia devem encontrar um acordo" com base nestas propostas, que se vinculam aos critérios da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), para "assegurar juntas a preservação da segurança" destas usinas, acrescentou.

Na madrugada de sexta-feira, projéteis russos impactaram a usina nuclear ucraniana de Zaporijia, a maior da Europa, provocando um incêndio sem consequências nos níveis de radioatividade, mas que paralisou o mundo diante do temor de uma nova catástrofe atômica.

As tropas russas assumiram o controle da região onde fica a usina, a 150 km da península da Crimeia.

Macron "condenou firmemente" este ataque e instou a Rússia a "garantir um acesso livre, regular e sem obstáculos ao pessoal das instalações, para garantir a continuidade de sua exploração com total segurança".

Veja também

Tumulto no Desfile do Orgulho em NY após confusão entre fogos de artifício e tiros
Estados Unidos

Tumulto no Desfile do Orgulho em NY após confusão entre fogos de artifício e tiros

Queda de arquibancada em tourada deixa 4 mortos e centenas de feridos na Colômbia
Acidente

Queda de arquibancada em tourada deixa 4 mortos e centenas de feridos na Colômbia