tráfico de animais

China: homem é preso ao tentar contrabandear 100 cobras escondidas em suas calças

Por ser um dos maiores centros de tráfico de animais do mundo, China têm tomado medidas duras contra o comércio ilegal

Tráfico de animais na ChinaTráfico de animais na China - Foto: Handout / Shenzhen Customs Release / AFP

Um homem foi detido na China ao tentar contrabandear mais de 100 cobras vivas escondidas em suas calças, informaram as autoridades policiais do país nesta terça-feira (10).

O viajante, de identidade desconhecida, foi preso pelos agentes da alfândega ao tentar deixar a cidade semiautônoma de Hong Kong e entrar na vizinha fronteira Shenzhen, informando o serviço de aduaneiro em comunicado.

"Após uma inspeção, os agentes aduaneiros determinaram que nos bolsos das calças do passageiro havia seis sacos lacrados com fita adesiva", disse, acrescentando que ao abri-los "cada saco reservado cobra vivas de todos os tipos de formas, tamanhos e cores", acrescentou.

De acordo com o comunicado, os agentes alcançaram 104 répteis, entre cobras-do-leite e cobras-do-milho, muitas das quais eram espécies não nativas.

Um vídeo mostra dois agentes inspecionando sacos plásticos transparentes cheios de cobras vermelhas, rosas e brancas se contorcendo.

A China é um dos maiores centros de tráfico de animais do mundo, mas nos últimos anos as autoridades têm tomado medidas duras contra o comércio ilegal.

As leis de biossegurança e controle de doenças do país proíbem a introdução de espécies não nativas desautorizadas.

"Quem violar as regras será (...) considerado responsável nos termos da lei", subordinado a autoridade aduaneira, sem especificar a pena imposta ao homem.

Veja também

Trump diz: 'fui atingido por uma bala que perfurou a parte superior da minha orelha direita'
ATENTADO

Trump diz: 'fui atingido por uma bala que perfurou a parte superior da minha orelha direita'

Biden diz que 'não há lugar para esse tipo de violência' após tiroteio em comício de Trump
SOLIDARIEDADE

Biden diz que 'não há lugar para esse tipo de violência' após tiroteio em comício de Trump

Newsletter