BACTÉRIA

Japão registra recorde de casos de doença que pode danificar tecidos; conheça sintomas

Doença pode causar náuseas, febres, dores musculares, e sinais sugestivos de falência de órgãos

Síndrome do choque tóxico acontece quando o organismo é intoxicado por toxinas produzidas por bactériasSíndrome do choque tóxico acontece quando o organismo é intoxicado por toxinas produzidas por bactérias - Foto: Instituto Nacional de Doenças Infecciosas/Reprodução

O Japão registrou um aumento de casos de uma doença bacteriana rara, que danifica os tecidos. De acordo com o Instituto Nacional de Doenças Infecciosas, que monitora a incidência da síndrome do choque tóxico estreptocócico (STSS, conhecida no Brasil como SCT) desde 1999, o número de casos registrados até o último dia 2 é superior ao recorde registrado ao longo de todo ano passado.

A doença pode causar náuseas, febres, dores musculares, e sinais sugestivos de falência de órgãos, como rins, fígado e pulmões.

 

 

Até o último dia 2, já foram registrados 977 casos de STSS, com 77 mortes registradas. Ao longo de todo o ano passado foram 941 casos, número, que até então, era o recorde. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o aumento de casos ocorreu após o fim das restrições impostas pela Covid-19. As informações são do Japan Times.

“À taxa atual de infecções, o número de casos no Japão pode chegar a 2.500 este ano, com uma taxa de mortalidade de 30%”, explicou Ken Kikuchi, professor de doenças infecciosas na Universidade Médica Feminina de Tóquio ao jornal japonês.

Conhecida também pela sigla SCT, a síndrome do choque tóxico é uma condição grave, em que o organismo se torna intoxicado devido a toxinas produzidas por bactérias. A doença, muitas vezes, surge como consequência de uma infecção bacteriana, geralmente desencadeada pelas bactérias Staphylococcus aureus e Streptococcus pyogenes.

Quais são os sintomas de síndrome do choque tóxico?

Pessoas que sofrem cortes e machucados que não são tratados corretamente, ou que passam por outras infecções no corpo ou na pele, como mastite, sinusite e infecção na garganta, podem sofrer da síndrome.

Além disso, certos fatores aumentam o risco. Adultos com 65 anos ou mais e pessoas que passaram por cirurgias recentes, lesões na pele, infecções virais que causam feridas abertas, como varicela, correm risco elevado. Condições como alcoolismo ou diabete também podem aumentar a probabilidade de STSS.

Para prevenir a propagação da infecção por estreptococos do grupo A, recomenda-se seguir as práticas padrão de controlo de infecções, incluindo uma boa higiene das mãos e cobrir-se ao tossir ou espirrar.

Veja também

Coreia do Sul reconhece direitos de casais do mesmo sexo em decisão histórica
mundo

Coreia do Sul reconhece direitos de casais do mesmo sexo em decisão histórica

Quanto de pão você pode comer sem engordar? Estudo de Harvard tem a resposta
SAÚDE

Quanto de pão você pode comer sem engordar? Estudo de Harvard tem a resposta

Newsletter