Brasil

"Falei que ela precisa medir as palavras", diz Benedita após desculpas de Zambelli

'Não quero mais alimentar essa conversa', acrescentou deputada petista sobre o episódio

Carla Zambelli e Benedita da SilvaCarla Zambelli e Benedita da Silva - Foto: Câmara dos Deputados/Reprodução

Alvo de ações apresentadas pelo PT na Corregedoria da Câmara e à Procuradoria-Geral da República (PT) após chamar a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) pelo nome da ex-escravizada Chica da Silva em uma live, a também parlamentar Carla Zambelli (PL-SP) pediu desculpas pessoalmente à petista pelo episódio.

Na conversa, ouviu de Benedita que deveria passar a "medir as palavras" — a bolsonarista já se envolveu numa série de polêmicas.

— Ela foi me pedir desculpas, e eu disse que ela precisava medir as palavras e que não poderia impedir que minha bancada tomasse providência jurídica ou política, como aconteceu — contou a deputada petista ao Globo, antes de botar um ponto final no assunto. — Estamos aguardando os resultados (das representações) e não quero mais alimentar essa conversa.

 

Já Zambelli, em mensagem escrita pela própria encaminhada à reportagem por sua assessoria, confirmou o pedido de desculpas e deu mais detalhes do teor do diálogo entre as duas. "Fui conversar com a Benedita para dizer que havia trocado os nomes sem querer", pontuou a parlamentar paulista. "Ela respondeu que para ela era uma honra ter sido chamada pelo nome de uma mulher tão forte e determinada", prosseguiu.

Zambelli narra que Benedita chegou a aconselhá-la: "Pedi desculpas, ela aceitou e disse, me aconselhando: 'Carla, eu nunca falei no seu nome, você podia tentar não arranjar novos inimigos. Eu concordei", escreveu a deputada.

A bolsonarista também conta ter repetido as queixas sobre não ter seus projetos de lei apreciados pela Secretaria da Mulher da Câmara, que tem Benedita como uma das coordenadoras. A mesma reclamação já havia sido citada na live em que, no início do mês, em meio à Reunião de Mulheres Parlamentares do P20, em Maceió (AL), ela chamou a petista de Chica da Silva.

"Ela disse que olharia se tem algum (projeto) lá e que me retornaria, o que não aconteceu até o momento", lamentou Carla Zambelli.

Chica da Silva foi uma escravizada brasileira alforriada que ficou famosa pelo poder que exerceu no arraial do Tijuco, hoje a cidade mineira de Diamantina. Devido à sua ascensão social, ela se tornou uma das mulheres negras mais importantes da sociedade colonial de Minas Gerais do século 18.

Pouco depois da fala de Zambelli, o PT do Rio publicou uma nota condenando a declaração e apontando racismo na fala da parlamentar.

"Nossa solidariedade e apoio a nossa grande referência e exemplo de luta Benedita da Silva, que foi chamada de 'Chica da Silva' pela deputada bolsonarista Carla Zambelli. Benedita tem uma trajetória política exemplar, principalmente na luta do povo preto. Racistas não passarão", postou a sigla fluminense.

Ministros como Silvio Almeida (Direitos Humanos) e Anielle Franco (Igualdade Racial) também recriminaram a citação de Zambelli e saíram em defesa de Benedita.

Veja também

Bolsonaro ironiza questionamento de Maduro sobre as urnas: 'Maduro is my friend'
Ex-presidente do Brasil

Bolsonaro ironiza questionamento de Maduro sobre as urnas: 'Maduro is my friend'

CMN diminui restrições a fintechs de crédito
CMN

CMN diminui restrições a fintechs de crédito

Newsletter