Bebidas

Bebidas e bares: Conheça as principais tendências para 2021

Gins saborizados, em alta no mercado, e importância da hospitalidade são alguns pontos importantes que irão marcar o setor no próximo ano

Caipirinha continua sendo bem procuradaCaipirinha continua sendo bem procurada - Foto: Divulgação

O ano está chegando ao fim e é hora dos profissionais do setor de bebidas avaliarem as mudanças de comportamento do consumidor impostas pela pandemia, mas tendo em vista novas criações e experiências. Após um período com tantas restrições, falar de tendências para 2021 vai além dos tipos de bebidas que devem ser mais utilizadas, passando, também, por questões de hospitalidade e gestão nos locais onde são mais consumidos os insumos.

Apesar da parcial abertura de bares e restaurantes, ainda está complicado viajar para o exterior para fazer cursos ou buscar novos fornecedores, produtos e técnicas “Ainda estamos vivendo a pandemia, o que mexe com a situação econômica do mundo todo. Os valores do dólar e do euro e as dificuldades de termos alguns produtos de fora vão contribuir para o fortalecimento do mercado interno em diversas categorias. Ingredientes tão nacionais como mate e café, podem ganhar mais espaço”, afirma a embaixadora da feira de destilados da BCB São Paulo, Carolina Oda.

Além disso, 2021 continuará sendo um ano de readaptação, o que significa que mesmo que inovar e utilizar a criatividade sejam aspectos importantes, fazer coquetéis simples, mas bem executados, será fundamental. Alguns consumidores já começaram a matar a saudade dos bares, portanto, é interessante que profissionais entendam que mesmo que as pessoas busquem por novidades, também procuram por bebidas que já estavam acostumados a consumir como Caipirinha, Margarita, entre outras.

As bebidas da vez

No Brasil, fermentados como os vermutes prometem ter mais destaque no próximo ano, assim como os gins que, inclusive, devem seguir em alta por um bom tempo, já que a onda dos saborizados está chegando ao país. “Nós já nos rendemos às graças do gin e somos apaixonados por frutas. É uma combinação natural e que facilita o entendimento do consumidor final com a usabilidade da categoria flavorizada. As marcas estão vendo a oportunidade de expandirem com o destilado, saborizando os produtos”, diz Diretor de Educação do BCB São Paulo, Marco De la Roche. 

Além desta categoria, o Diretor também indica que coquetéis com menor ou nenhuma graduação alcoólica tendem a crescer ainda mais no próximo ano. “Os drinks sem álcool são tão bons quanto os que possuem e os profissionais estão percebendo que as pessoas que não consomem álcool não devem ficar fora da cena de coquetelaria”, afirma.

Hospitalidade e gestão

A humanização é algo que foi acentuada com a pandemia e que deve continuar como ponto fundamental para clientes, funcionários e demais envolvidos nas operações. Falar de relacionamento, pessoas e saúde mental tem se tornado mais frequente e a abordagem destes aspectos deve ganhar ainda mais força a cada ano. A hospitalidade precisa entrar de vez na lista de prioridades dos locais e quem não levar esse aspecto em conta pode sair prejudicado.

A época de desafios deve continuar, logo, os profissionais também precisarão focar em gestão em 2021. Faz-se necessário identificar melhor os gastos e entender como administrá-los. Mais que nunca é preciso fazer com que o negócio sobreviva e uma boa gestão, sem dúvidas, é o melhor caminho para isso. 
 

 

Veja também

Diageo expande cobertura de fundo de R$ 15 milhões para bares e restaurantes em Pernambuco
Fundo

Diageo expande cobertura de fundo de R$ 15 milhões para bares e restaurantes em Pernambuco

Vinhos para brindar o Dia Internacional da Mulher e o Mês do Consumidor
Vinhos

Vinhos para brindar o Dia Internacional da Mulher e o Mês do Consumidor