SÉRIE

House of the Dragon: atores prometem segunda temporada "melhor, maior e com mais dragões"

A série "House of the Dragon", spin-off de "Game of Thrones", retorna às telas neste domingo (16)

Olivia Cooke em cena da segunda temporada de "House of the Dragon" ("A casa do dragão")Olivia Cooke em cena da segunda temporada de "House of the Dragon" ("A casa do dragão") - Foto: HBO/Divulgação

A primeira temporada de "House of the Dragon", com título em português como “A casa do dragão” (2022), série derivada do hit "Game of Thrones” (2011-2019), entregou um desfecho brutal — como de costume na obra de George R. R. Martin — e deixou os fãs com gosto de “quero mais” ao apresentar dois grandes postulantes ao trono de ferro logo após a morte do rei Viserys I Targaryen (Paddy Considine).

De um lado, o rei Aegon II Targaryen (Tom Glynn-Carney), filho homem mais velho de Viserys, é coroado pela mãe e pelo avô Hightower, formando os “verdes”. Do outro, Rhaenyra (Emma D'Arcy), primogênita do falecido monarca e a quem havia sido prometido o trono. Ao lado do marido, Daemon (Matt Smith), e dos aliados, ela forma os “pretos”.

Confira o trailer de "House of the Dragon" ("A casa do dragão"):

 

A nova temporada da série "House of the Dragon" que estreia neste domingo (16), no canal HBO e no streaming Max, terá a disputa entre as duas bandeiras como tema principal.

— Estamos a um passo da guerra civil. Vamos ver mais sangue escorrendo e mais do mundo de “Game of Thrones”. Vamos conhecer diferentes territórios e aliados, o que é muito empolgante — conta Olivia Cooke, de 30 anos, que interpreta Alicent Hightower (Olivia Cooke).

— É tudo muito difícil para Alicent na temporada. Ela não é mais a rainha, não é mais a mulher mais poderosa de Westeros. Ela não esperava perder seu poder tão rapidamente e sente que as pessoas não respeitam seus conselhos e opiniões.

Já Harry Collett, que interpreta o príncipe Jacaerys Velaryon, promete uma temporada “melhor, maior e com mais dragões”. Empolgado em trabalhar em uma produção da dimensão de “A casa do dragão”, o ator brinca que a parte mais difícil do trabalho é “voltar para casa e lavar os pratos após passar o dia sendo tratado como um príncipe”.

Filho mais velho de Rhaenyra, Jacaerys passará mais tempo ao lado da pretendente Lady Baela Targaryen (Bethany Antonia), isso quando não está montado em seu dragão. Apesar das exigências, o ator revela que se diverte ao gravar cenas no dragão.

— É muito divertido. Você fica em uma grande plataforma verde balançando por 45 minutos. É muito glamuroso — brinca o ator londrino de 20 anos. — Temos uma máquina de vento e telas em volta simulando o céu. Você se sente realmente imerso naquele cenário. Cada pessoa tem sua sela personalizada, o que é muito legal. Depois de um tempo, você começa a se sentir um pouco mal, então não recomendo comer muitos nuggets de frango antes de gravar.

Novo rei do pedaço, Tom Glynn-Carney, de 29 anos, aponta para uma jornada de altos e baixos de Aegon no novo ano:

— Ele liga muito para aparências. Ele quer que o povo goste e respeite ele, e ao mesmo tempo quer mostrar força. Ele ainda não sabe muito bem como desmantelar todo esse confuso nó que é colocado diante dele.

O ator conta que aderiu ao alongamento e ao yoga para aguentar as exigências físicas da nova temporada, em que está presente de forma mais significativa na anterior (que contou com um salto temporada que gerou a troca de boa parte do elenco do meio da história).

Um dos personagens mais “georgerrmartianos” da série, que vive por trás das cortinas confabulando os próximos passos do reino, Lord Larys é vivido por Matthew Needham na produção. O ator fala sobre interpretar um desses personagens que o público “ama odiar”.

— É muito divertido interpretar alguém que toma atitudes tão extremas e violentas. É muito mais legal do que ser o par romântico principal. Não é nunca tedioso. Tem sempre algo esquisito acontecendo — aponta Needham, que não sente ciúmes dos colegas de set que passam o dia lutando com espadas ou montando dragões.

— Montar dragões é incrível, mas dá muito trabalho. Eu fico mais confortável confinado no meu quarto escuro e quietinho. Estou muito feliz aonde estou.

‘Come to Brazil’
Uma coisa em comum entre os atores da série é a noção de responsabilidade e a pressão por atuar em uma produção com uma base de fãs enorme e presente em todo mundo.

— Toda equipe entende que é uma responsabilidade muito grande (seguir os passos de “Game of Thrones”). Mas é algo que também não podemos ficar pensando muito. Se eu focar nisso, nunca mais vou conseguir colocar o pé no set. Você precisa compartimentalizar e fazer o seu trabalho — destaca Glynn-Carney.

Até o momento, o elenco de “House of  the Dragon" ainda não teve a oportunidade de visitar o Brasil. Mas os convites não são poucos nas redes sociais dos atores.

— Recebo muitos comentários de “come to Brazil”. São muitos convites para visitar o Brasil. Tantos que uma amiga me presenteou com o boné que diz “come to Brazil” — se diverte Cooke. — Mal posso esperar para visitar o país.

Comandada por Ryan J. Condal, showrunner e co-criador da série, a segunda temporada de "House of  the Dragon" (“A casa do dragão”) contará com oito episódios, que vão ao ar aos domingos, às 22h.

Veja também

Kevelin Gomes diz que não considera que Yuri Lima traiu Iza, mas pede desculpas
POLÊMICA

Kevelin Gomes diz que não considera que Yuri Lima traiu Iza, mas pede desculpas

Leandro Marçal, de 'Casamento às Cegas', nega acusação de estupro e critica edição de episódio
denúncia

Leandro Marçal, de 'Casamento às Cegas', nega acusação de estupro e critica edição de episódio

Newsletter