Futebol

Náutico joga mal, perde para o Floresta e se aproxima da zona de rebaixamento da Série C

Timbu foi derrotado por 1x0, nos Aflitos, e corre risco de entrar no grupo dos quatro piores na próxima rodada

Lance de Floresta x NáuticoLance de Floresta x Náutico - Foto: Gabriel França/CNC

A meta do Náutico na Série C do Campeonato Brasileiro é o G8, de olho na vaga no quadrangular que vale vaga na Série B. Jogo após jogo, porém, o clube vai se distanciando do sonho. Quanto mais longe da parte de cima da tabela, consequentemente, mais próximo da zona de rebaixamento. Apenas dois pontos separam o Timbu da lista dos quatro piores. Uma fase ruim que piorou após a derrota desta segunda (17) por 1x0 para o Floresta, nos Aflitos, pela nona rodada. 



Risco de Z4

Os pernambucanos estão em 13º, com oito pontos. O próximo duelo é no dia 24 de junho, contra a Aparecidense, no Aníbal Toledo. Os cearenses saíram da zona de rebaixamento e pularam para a 16ª colocação, com seis pontos. 

Do gol ao ataque, o técnico Bruno Pivetti fez uma série de mudanças no time do Náutico. Ao menos no anúncio da escalação, a torcida parecia ter aprovado as novidades promovidas pelo estreante da noite. Restava provar nos 90 minutos que as escolhas estavam corretas.

Lanterna e com apenas uma vitória na Série C, o Floresta contrariou os prognósticos que imaginavam um time mais fechado e pressionou o Náutico nos primeiros minutos. Lucas Maticoli foi obrigado a trabalhar em chute forte de fora da área. 

Em um cenário assim, é fácil adivinhar o que ia acontecer. Aos 18, Buba aproveitou cobrança de falta na área e cabeceou no ângulo, abrindo o placar nos Aflitos. O Náutico poderia ter alcançado o empate minutos depois, mas Gustavo Maia, de frente ao gol, perdeu chance incrível.

Desorganizado, o Náutico por pouco não foi ao intervalo com um prejuízo maior. Romarinho saiu na cara de Maticoli, driblou o goleiro e só não finalizou porque Arnaldo travou na hora exata. O fim do primeiro tempo veio acompanhado das vaias dos alvirrubros.

O Náutico não esboçava qualquer impressão de que teria condições de se recuperar. Vendo a inércia do time, Pivetti foi obrigado a mexer, sacando Patrick Allan e Kauan para as entradas de Marco Antônio e Kayon.

Tudo ou nada

A entrada do centroavante Bruno Mezenga no lugar do volante Marco Carvalho foi o tudo ou nada para o Náutico acordar no jogo. O Náutico passou a dobrar a presença na área, mas o grande problema era no setor de criação.

Em uma das piores atuações do time no ano, o Náutico saiu derrotado dos Aflitos e agora corre risco de, na próxima rodada, entrar na zona de rebaixamento. 

Ficha técnica

Náutico 0

Lucas Maticoli; Arnaldo (Danilo Belão), Rafael Vaz, Joecio (Thalissinho) e Diego Matos; Marco Carvalho (Bruno Mezenga), Renato Alves e Patrick Allan (Marco Antônio); Gustavo Maia, Kauan (Kayon) e Paulo Sérgio. Técnico: Bruno Pivetti

Floresta 1

Luiz Daniel, Watson (Lucas Alisson), Ícaro, Ricardo Lima e Davi Castro (Pará); Wescley (Jô), Marcelo e Lucas Santos; Andrew (Jean Silva), Romarinho e Buba (Emerson Carioca). Técnico: Marcelo Cabo.

Local: Aflitos (Recife/PE)
Árbitro: Afro Rocha de Carvalho Filho (PB). Assistentes: Wlademir Cunha Mendes e Paulo Ricardo Alves Farias
Gols: Buba (aos 18 do 1ºT)
Cartões amarelos: Renato Alves, Gustavo Maia, Bruno Mezenga, Danilo Belão (N); Wescley, Andrew (F)
Público 4.169 torcedores
Renda R$ 60.152,00

 

Veja também

Sorteio da Copa do Brasil 2024: Saiba onde assistir, horário e regras
FUTEBOL

Sorteio da Copa do Brasil 2024: Saiba onde assistir, horário e regras

Skatista Cego: conheça a trajetória de Fernando Araújo
Superação

Skatista Cego: conheça a trajetória de Fernando Araújo

Newsletter