PERNAMBUCO

Paulo Câmara decreta situação de emergência em Pernambuco e libera R$ 100 milhões para ações

Recursos serão destinados à assistência às vítimas, obras urgentes e de infraestrutura 

Paulo Câmara em coletiva de imprensa, na sede da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac)Paulo Câmara em coletiva de imprensa, na sede da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) - Foto: Artur Ferraz/Folha de Pernambuco

O governador Paulo Câmara decretou situação de emergência em Pernambuco por conta das chuvas. O gestor disponibilizou R$ 100 milhões para o trabalho de busca e salvamento, obras urgentes e de infraestrutura nos municípios mais atingidos. Os recursos estarão disponíveis para as prefeituras já nessa semana. Com o decreto de situação de emergência os municípios atingidos podem acessar os recursos do Sistema Nacional de Defesa Civil.

"Esse montante é o que estamos liberando de forma emergencial. Ainda temos previsão de continuidade das chuvas e os trabalhos de buscas de pessoas soterradas em 12 pontos da Região Metropolitana do Recife. A determinação para a Secretaria de Defesa Social e o Corpo de Bombeiros é que nossas equipes permaneçam nos locais até que a última vítima seja resgatada", afirmou o governador.

O número de pessoas mortas em consequência das chuvas atingiu 79. Além disso, há o registro de 3.957 pessoas desabrigadas, sobretudo nos municípios da Região Metropolitana do Recife e na Zona da Mata Norte, regiões mais atingidas pelas chuvas. 

 

O grande impacto causado pelas chuvas, fez com que até agora 15 municípios decretassem Situação de Emergência, entre eles: Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Igarassu, São José da Coroa Grande, Moreno, Nazaré, Macaparana, Cabo de Santo Agostinho, São Vicente Ferrer, Paudalho,  Paulista, Goiana, Timbaúba e Camaragibe.

Veja também

Soraya Thronicke propõe substituir impostos federais por um só tributo
Eleições 2022

Soraya Thronicke propõe substituir impostos federais por um só tributo

STF retoma julgamento sobre nova Lei de Improbidade
Justiça

STF retoma julgamento sobre nova Lei de Improbidade